Minas Gerais: ELEIÇÕES DIMINUÍRAM INFLUÊNCIA DO PALÁCIO DA LIBERDADE.

A imprensa internacional destaca a vitória eleitoral do Governador de São Paulo, José Serra, que se habilita a ser candidato à sucessão de Lula em 2010. Pela primeira vez desde a redemocratização do Brasil, Lula não poderá ser candidato e o PT terá que optar por outro nome. Em uma outra nota Josias de Souza analisa o trincamento do projeto político aparentemente pretendido pelo grupo de Aécio. Embora tenha ganho as eleições em Belo Horizonte, onde teve habilidade para desestruturar o PT, e em Juiz de Fora, o resultado geral representou uma derrota para o Governador, já no primeiro turno. No segundo turno, os resultados de Contagem e Montes Claros não foram os que o Governador preferia.

Leia:

1-Imprensa internacional considera fortalecimento de José Serra.

Brasil

28/10/08 09:41

Serra é "o homem a ser batido" em 2010, diz El País

O jornal espanhol El País destaca em sua edição on-line que o governador de São Paulo, José Serra, é o "homem a ser batido" na eleição presidencial de 2010.

A reportagem enfatiza que o PT não definiu quem será o sucessor de Lula, que pela primeira vez desde 1989 não será candidato a presidente, já que um terceiro mandato só seria possível com uma reforma constitucional, o que não deverá acontecer.

Para o El País, a vitória de Gilberto Kassab, candidato de Serra, sobre Marta Suplicy, candidata de Lula, é aprova da crescente popularidade do governador de São Paulo.

A matéria destaca a trajetória política de Serra, desde seu tempo de exílio no Chile até sua participação como ministro da Saúde no governo de Fernando Henrique Cardoso e a iniciativa de quebrar as patentes dos medicamentos para o tratamento da AIDS, enfrentando a indústria farmacêutica.

Redação Terra

Confira em: http://tinyurl.com/5smu7y

2-Josias de Souza, em seu blog, considera o enfraquecimento da influência política de Aécio Neves.

Josias de Souza escreveu sobre a construção de uma tese do pós-Lula por Aécio Neves. Para Josias a tese de Aécio trincou irreversivelmente diante da manifestação das urnas.

25/10/2008 - 22h43

Blog do Josias: Tese do "pós-Lula", erigida por Aécio, perde força

A julgar pelos dados que o Datafolha colecionou, Marcio Lacerda (59% dos votos válidos) vai prevalecer, finalmente, sobre Leonardo Quintão (41%). O resultado afasta das cercanias de Aécio Neves (PSB) um vexame. Mas a estratégia política do governador tucano de Minas trincou, informa o blog do Josias.

De acordo com o blog, Aécio levara ao noticiário a tese do "pós-Lula" na disputa que trava com José Serra pela vaga de presidenciável do PSDB.

Baseia-se na percepção de que um "anti-Lula" não teria a mínima chance de chegar ao Planalto em 2010.

O blog diz que para Aécio a aliança preferencial do tucanato em 2010 não seria com o DEM, mas com legendas que gravitam em torno de Lula. Leia mais no blog do Josias. Confira em:

http://noticias.bol.uol.com.br/brasil/2008/10/25/ult4728u19648.jhtm

que

transcrevemos abaixo:

A julgar pelos dados que o Datafolha colecionou, Márcio Lacerda (59% dos votos válidos) vai prevalecer, finalmente, sobre Leonardo Quintão (41%).

O resultado afasta das cercanias de Aécio Neves um vexame. Mas a estratégia política do governador tucano de Minas trincou.

Na briga que trava com José Serra pela vaga de presidenciável do PSDB, Aécio levara ao noticiário a tese do "pós-Lula".

Baseia-se na percepção de que um "anti-Lula" não teria a mínima chance de chegar ao Planalto em 2010.

Na cabeça de Aécio, a aliança preferencial do tucanato em 2010 não seria com o DEM, mas com legendas que gravitam em torno de Lula.

Para mostrar-se mais agregador do que Serra, o governador mineiro não deixou por menos. Associou-se de cara ao PT do prefeito Fernando Pimentel.

Mais: dividiu com o parceiro petista o peso de um poste do PSB. Escolheu-o a dedo. Márcio Lacerda é amigo de Ciro Gomes (PSB-CE), o mais ácido desafeto de Serra.

De resto, Lacerda traz na biografia uma passagem pela Esplanada de Lula. Foi secretário-executivo de Ciro na pasta da Integração Nacional.

No quebra-cabeça montado por Aécio, Ciro poderia ser encaixado no espaço reservado ao vice de uma chapa presidencial.

Porém, a despeito das articulações feitas por Tasso Jereissati (PSDB-CE), outro desafeto de Serra, Ciro parece hoje mais próximo da candidatura própria do que de Aécio.

A parceria com Pimentel rendeu a Aécio apenas a ira do petismo nacional. E não há vestígio de legenda governista que se disponha a aderir às pretensões de Aécio.

O PMDB, que chegara a sonhar com uma filiação de Aécio, patrocina, em Belo Horizonte, a candidatura de Leonardo Quintão, rival de Lacerda.

No plano Nacional, o PMDB tricota a mais não poder com Lula. Em São Paulo, a legenda foi levada ao colo de Serra por Orestes Quércia.

Para complicar, a crise financeira global fez subir no telhado a teoria do "pós-Lula".

A percepção de que um candidato genuinamente oposicionista estaria fora da briga sucessória de 2010 já não parece tão sólida.

Os humores do eleitorado estarão condicionados, no médio e no longo prazos, ao comportamento da economia.

Em que patamar vai estacionar a popularidade de Lula se o desemprego aumentar? Quais serão os efeitos de eventuais PIBs miúdos no prestígio do presidente? São variáveis novas.

Interrogações que não faziam parte do xadrez no momento em que Aécio pôs de lado um anti-lulismo que ele agora terá dificuldades de representar.

No primeiro turno das eleições estaduais mineiras já se via que a influência política de Aécio havia trincado. Seu governo, já em conflito com grandes segmentos do serviço público estadual, perdeu importantes prefeituras. Inclusive São João del Rey. A isso, acrescentou-se o crescimento político de José Serra, com a vitória de Kassab na cidade de São Paulo. Resultado: o enfraquecimento da influência de Aécio, no plano nacional, dentro de seu próprio partido, o PSDB.

O ministro Hélio Costa anunciou o desempenho do PMDB mineiro, comunicando o grande número de vitórias eleitorais do partido no Estado. A notícia foi publicada em http://www.otempo.com.br/hotsites/eleicoes2008/?IdNoticia=18973' .

O PMDB mineiro não se incluiu na aliança forjada por Aécio Neves em Belo Horizonte e é um partido que não tem apresentado submissão completa ao Palácio da Liberdade, como acontece com outros partidos. Exemplo: PSB.

Technorati : , , , , , , , , ,
Zooomr : , , , , , , , , ,

Comente ou deixe um trackback: URL do Trackback.

Trackbacks

  • Por Geraldo_Sette no diHITT em 28 -outubro- 2008 às 10:14 am

    Minas Gerais:resultados eleitorais não favoreceram Aécio Neves….

    Salvo de um desastre completo pela vitória eleitoral em Belo Horizonte, onde conseguiu a façanha de desmontar o PT, o Governador Aécio Neves viu a diminuição da sua influência como resultado das eleições. Dentro do PSDB sobe a estrela de José …

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: