Arquivo do mês: maio 2010

Juiz de Fora: servidores públicos fazem passeata e paralisação com êxito

FAX SINDICAL 263

================

Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora

————————————-

Ano V * Nro». 263 * 12 de maio de 2010

_____________________________________

 

Assembléia, passeata e paralisação mostram sucesso do movimento unificado dos servidores públicos municipais de Juiz de Fora.

 

AMANHÃ 13 DE MAIO 10 HORAS E TRINTA MINUTOS

ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

MÉDICOS DA PREFEITURA DE JUIZ DE FORA

 

Na pauta: Movimento unificado dos servidores da Prefeitura. Cumprimento do acordo de 2010. Equiparação Já! Fim da discriminação salarial. Chega de médico ganhar menos 25% que o nível superior. Concurso para a Prefeitura com salário decente. Regularização da carreira de urgencia e emergencia. Elevação do índice de aumento.

 

Hoje Juiz de Fora viu o descontentamento do funcionalismo municipal. A cidade testemunhou a paralisação dos principais serviços públicos municipais. Uma passeata com mais de 3 mil pessoas impressionou a todos. Na Assembléia Geral Unificada mais de 4000 servidores aprovaram uma nova paralisação para o dia 20 de maio, com a realização de uma nova Assembléia Geral Unificada.

 

——————————————-

 

Salários ruins, falta de uma carreira estruturada e deterioração de condições de trabalho expulsa médicos do serviço público.

 

*Na imprensa local repercute a entrevista do Dr. Gilson Salomão Jr., Presidente do Sindicato dos Médicos, sobre a gravidade da falta de médicos na urgência. Ontem não havia plantão de Clínica Médica no HPS. Irresponsabilidade da atual administração municipal, que finge achar que profissionais altamente qualificados podem trabalhar em condições estressantes por um salário péssimo. A cidade está a tomar conhecimento da falta de compromisso da Prefeitura com a comunidade, ao permitir que a situação chegue a esse ponto. O serviço público municipal está a expulsar os seus médicos por meio de remuneração sofrível, falta de perspectiva de carreira e deterioração das condições de atendimento médico.

 

Juiz de Fora: Médicos da Prefeitura fazem Assembléia dia 13 de maio.

FAX SINDICAL 262

================

Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora

______________________________________

Ano V * Nro. 262 * 11 de maio de 2010

————————————–

 

*** ATENÇÃO *** ATENÇÃO *** ATENÇÃO ***

Assembléia Geral Extraordinária

Médicos da Prefeitura de Juiz de Fora

Dia 13 de maio de 2010, quinta-feira, a partir de 10 horas e 30 minutos, na Sociedade de Medicina e Cirurgia de Juiz de Fora

 

Hoje foi realizada reunião entre os Sindicatos que representam o funcionalismo municipal e o secretário de administração do governo de Custódio de Matos, Vitor Valverde.

 

O secretário mostrou-se intransigente quanto ao índice outorgado pela administração municipal de 7%. Revelou que a Prefeitura não cede. Os sindicalistas fizeram ver ao secretário que o problema não é a falta de recursos municipais. O vertiginoso aumento do IPTU, a cassação das isenções e o reajuste zero do ano passado, entre outros fatores, contribuíram para encher os cofres da Prefeitura. A decisão de não conceder índice menor e nem a reposição salarial de 2009 foi vista pelos sindicalistas como uma postura política da atual administração, que preferiu não investir na valorização do funcionalismo.

 

* O secretário Vitor Valverde também afirmou que a contraproposta para rescisão salarial dos médicos da AMAC foi o parcelamento em dez vezes, recusando a proposta do Sindicato dos Médicos, de pagar os 40% da multa rescisória em 3 prestações e dividir em 7 vezes os valores dos outros direitos dos médicos de família. Ou seja, os profissionais correm o risco de sair da Prefeitura sem agradecimentos e com seus direitos pulverizados em suaves prestações mensais.

 

Amanhã (dia 12 de maio) haverá paralisação dos servidores municipais e uma concentração e Assembléia unificada na Praça da Estação a partir das dez horas. É a resposta do funcionalismo àqueles que não reconhecem o seu valor. O Sindicato dos Médicos está no movimento unificado com todos os sindicatos que representam o serviço público municipal.

 

Dia 13, a partir de 10 horas e 30 minutos, na Sociedade de Medicina, será a vez dos médicos discutirem a sua participação no Movimento Unificado e o encaminhamento das pautas.

Juiz de Fora: Prefeito reconhece crise no SUS e má-remuneração dos médicos.

FAX SINDICAL 261

================

Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora

————————————-

Ano V * Nro. 261 * 08 de maio de 2010

__________________________________________

 

*** ATENÇÃO *** ATENÇÃO *** ATENÇÃO ***

 

Médicos da Prefeitura de Juiz de Fora – Assembléia no dia 13 de maio, a partir de 10 horas e 30 minutos, na Sociedade de Medicina e Cirurgia, Rua Braz Bernardino, 59.

 

Pauta: Campanha Salarial Unificada 2010.

 

Divulgue. Avise aos colegas e amigos. Envie emails. Telefone. Avise nos locais de trabalho. A presença de todos é importante para revelar a força do nosso movimento.

 

Extensivo a todos os médicos da Prefeitura: HPS, Regional Leste, Regional Norte, PAM Marechal, PAM Andradas, Saúde da Mulher, Saúde Mental, Casa do Servidor, SAMU, PSF, AMAC, UBS, Regulação, Central de Vagas, Auditoria e todos os órgãos e unidades da Prefeitura. Todos devem participar.

 

 

SINDICATOS REUNIRAM-SE COM O PREFEITO.

 

Em reunião com sindicalistas que representam os servidores públicos municipais, na tarde do dia 7 de maio, o Prefeito Custódio de Matos reconheceu a crise do serviço público de saúde de Juiz de Fora, já amplamente denunciada pelo Sindicato dos Médicos e também declarou que os salários dos médicos da Prefeitura estão defasados em relação aos valores praticados pelo mercado.

 

Quanto ao índice proposto de 7%, foi irredutível. Disse que não será alterado, já que o índice, segundo ele, não é estabelecido apenas pelos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal, mas também pela disponibilidade financeira da Prefeitura.

 

O Sindicato dos Médicos, juntamente com o SINSERPÚ e os sindicatos de professores e engenheiros, mantém a convocação de uma paralisação para o dia 12 de maio, com assembléia geral unificada para todo o funcionalismo municipal, a se realizar no dia 12 de maio, às 10 horas, na Praça da Estação.

 

No dia seguinte, 13 de maio, o Sindicato dos Médicos chama todos os médicos da Prefeitura para uma reunião, a partir de 10 horas e trinta minutos, na Sociedade de Medicina e Cirurgia de Juiz de Fora, para ouvir e deliberar com os profissionais sobre a campanha salarial unificada de 2010. Serão feitos informes sobre o movimento e na pauta estarão, além da luta pelo reajuste, a equiparação salarial dos médicos, com pleno reconhecimento da carga horária especial (atualmente os médicos percebem menos 25% do que o nível superior) e o cumprimento do acordo de 2009, que prevê a criação de um plano de cargos, carreira e remuneração para os médicos e uma comissão permanente para avaliar as condições de atendimento médico à população de Juiz de Fora.

 

O Fax Sindical pode ser acompanhado no Twitter em twitter.com/faxsindical

SUS de Juiz de Fora à beira do colapso.

FAX SINDICAL 260

———————-

Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora

_____________________________________________

Ano V * Nro. 260 * 6 de maio de 2010

==============================

 

AVISO SINDICAL IMPORTANTÍSSIMO

 

Atenção *** Atenção *** Atenção

 

Médicos da Prefeitura de Juiz de Fora

 

PSF – AMAC – HPS – REGIONAL LESTE – PAI – REGIONAL NORTE – SAMU – UBS – PAM Marechal – PAM Andradas – Saúde Mental – Instituto da Mulher – Casa do Servidor – DESAT e todas as unidades

 

ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA para tratar da campanha salarial de 2010 – Índice de aumento – Fim da discriminação salarial contra os médicos – gratificações – cargo – carreira e remuneração.

 

Compareça. Divulgue. Mobilize. Avise os colegas e os chame para Assembléia. É importante.

 

O dia vai ser 13 de maio, quinta-feira próxima. A hora vai ser 11 horas da manhã. Repetimos e confirmamos: 11 horas da manhã. O local é a Sociedade de Medicina e Cirurgia de Juiz de Fora. Rua Braz Bernardino, 59. A hora é de lutar. Todos à Sociedade de Medicina no dia 13 de maio às 11 horas.

——————————————

 

JUIZ DE FORA: Campanha salarial unificada 2010

Prefeito receberá sindicalistas.

 

Depois de longo isolamento, Custódio de Matos receberá sindicalistas da Prefeitura para tratar de reajuste salarial.

 

A reunião se dará na Prefeitura, às 15 horas da sexta-feira, 7 de maio. Analistas avaliam que os sindicalistas devem esperar pouco desse encontro com o prefeito Custódio.

 

——————————————

 

FIM DO CÓDIGO 7 PODE LEVAR SUS DE JUIZ DE FORA AO COLAPSO.

 

Secretário Geral do Sindicato dos Médicos e representantes dos hospitais procuram Secretária de Saúde de JF para tratar dos honorários dos médicos prestadores autônomos de serviços ao SUS.

 

A reunião foi hoje (06/05) às 15 horas, na Secretaria de Saúde. O Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora, representado pelo seu Secretário Geral, reuniu-se com a secretária de saúde de Juiz de Fora, Maria Rute dos Santos, para tratar da manutenção do código 7. Uma portaria de 4 anos atrás determina a morte do código 7 em Juiz de Fora, seguindo os ditames do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde. Essa portaria não foi inspirada, por certo, na melhoria da qualidade dos serviços médicos.

 

Legalismos covardes à parte, a Secretária mostrou-se uma pessoa amedrontada, comparando-se a alguém a quem se coloca uma faca no pescoço. Disse que a auditoria do SUS considerou o código 7 uma grave irregularidade e que há pressões do Ministério Público Estadual. Disse que não poderá recontratualizar os serviços do SUS com as instituições de saúde enquanto persistir o código 7.

 

Essas palavras pareceram estranhas aos interlocutores, porque é público e notório que em Belo Horizonte e 90% do território mineiro ainda vigora o código 7, por força de liminar obtida pela Associação dos Hospitais de Belo Horizonte. Sabemos também que no Rio Grande do Sul foi feito um acordo que mantém o código 7 em todo o Estado. Portanto, os auditores do Ministério da Saúde não estariam informados corretamente e estariam de olho nos médicos de Juiz de Fora. Noventa por cento dos doutores ganham mal e realizam poucos procedimentos por uma tabela desatualizada, defasada e achatada.

 

O Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora já está na Justiça em defesa do código 7. Desde o ano de 2007. É o processo 2007.38.01.04229-8. O juiz substituto Leandro Saon C. Bianco negou a antecipação de tutela pedida liminarmente pelo advogado do Sindicato, Dr. João Fernando Lourenço, dizendo que os médicos gozam de condições econômicas significativas para suportar os prejuízos que vão decorrer da extinção do código 7, até que a Justiça resolva quando e como vai se pronunciar sobre o assunto. A hipótese de muitos profissionais desistirem de trabalhar para o SUS, diminuírem a sua produtividade e disso provocar um prejuízo importante sobre a saúde pública não entrou nas considerações do meritíssimo. Pobre SUS. Pobre Juiz de Fora.

 

O presidente da Associação dos Hospitais de Juiz de Fora, representação classista dos hospitais e casas de saúde privadas e filantrópicas de Juiz de Fora, Dr. Gilson Calamelli, também presente à reunião, juntamente com o Diretor Clínico da Casa de Saúde Aragão Villar e coordenador de Psiquiatria do HPS, Dr. Carlos Megda, declarou que pedirá a extensão da liminar já ganha em Belo Horizonte, pela Associação dos Hospitais de Minas Gerais, também ao município de Juiz de Fora.

 

O Secretário Geral do Sindicato dos Médicos, Dr. Geraldo Sette, declarou que a extinção do código 7 é uma irresponsabilidade, porque agrava a situação do SUS, que já não anda boa em Juiz de Fora. Declarou que é de grande utilidade que a opinião pública seja corretamente informada desse risco, que é muito sério. Disse que ao negar a liminar o juiz não teve em mente as conseqüências negativas previsíveis que decorrerão dessa decisão.

 

Juiz de Fora: Sindicato dos Médicos convoca Assembléia Geral Extraordinária.

_______ FAX SINDICAL 259_______

==================================

Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora.

————————————-

N° 259 – Ano V – 05 de maio 2010

———————————-

 

MUITO IMPORTANTE: ASSEMBLÉIA DOS MÉDICOS DA PREFEITURA DE JUIZ DE FORA.

 

***AVISO SINDICAL***

 

Atenção Médicos da Prefeitura de Juiz de Fora.

 

ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA.

 

Divulguem para todos os colegas:

 

Dia 13 de maio de 2010, a partir de 19 horas e 30 minutos, vai acontecer na Sociedade de Medicina e Cirurgia de Juiz de Fora, Rua Braz Bernardino, 59, uma Assembléia Geral Extraordinária tendo como pauta a campanha salarial 2010 na Prefeitura de Juiz de Fora. A presença de todos é importante para mostrar a força da categoria profissional. Divulgue. Participe. Mobilize-se.

———————————-

 

Prefeitura de Juiz de Fora: Servidores Públicos Municipais em campanha unificada.

 

ASSEMBLÉIA UNIFICADA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS – DIA 12 DE MAIO ÀS 10 HORAS NA PRAÇA DA ESTAÇÃO. COMPAREÇA!

 

Sindicalistas rejeitam reajuste de 7%, reivindicam presença do Prefeito e recusam discussão de pauta específica até definição de um índice linear satisfatório para toda a categoria.

 

Em reunião realizada no dia 03 de maio, os representantes dos sindicatos envolvidos com a Prefeitura reafirmaram a disposição de não aceitar discussões que envolvam questões específicas de pauta antes de esgotada a discussão do índice de reajuste linear, a ser aplicado a todos os servidores.

 

No dia seguinte, representantes de todos os sindicatos envolvidos na negociação compareceram à Prefeitura, para dizer ao Secretário Vitor Valverde que a questão do índice precisa estar resolvida antes da discussão de pautas específicas e para reafirmar a reivindicação da presença do Prefeito nas negociações.

 

Dia 12 de maio haverá uma assembléia unificada do funcionalismo, com paralisação. No dia seguinte, 13/5, os médicos da Prefeitura deverão se reunir com a diretoria do Sindicato dos Médicos para uma avaliação do movimento.

 

————————————-

 

Sindicato dos Médicos denuncia deterioração do SUS em Juiz de Fora.

 

Em reuniões e na Imprensa:

Presidente do Sindicato dos Médicos denuncia más condições de atendimento e remuneração e expõe a grave deterioração do SUS que decorre dessa dura realidade.

 

Em entrevista concedida à TV Panorama, no dia 03 de maio, o Presidente do Sindicato dos Médicos, Dr. Gilson Salomão, expôs para a opinião pública e autoridades de Juiz de Fora a gravidade da crise que se abate sobre o SUS local, afetando especialmente os serviços de urgência e emergência.

 

Esses problemas são conhecidos da população, por renderem sucessivas notícias na nossa imprensa.

 

A falta de plantonistas foi um dos temas mais graves. Enquanto Dr. Gilson concedia a entrevista, no HPS havia apenas um plantonista de Clínica Médica e na Regional Leste nenhum.

 

O serviço de Cirurgia do HPS já havia se queixado ao CRM da falta de profissionais e da escala incompleta. O problema se arrasta até hoje sem solução. A Regional Norte não está tendo pediatra no final de semana e os profissionais do PAI, sobrecarregados, já falam em demissão. A idéia de demissão também está na agenda de muitos profissionais do serviço de Traumatologia do HPS. A emergência psiquiátrica passou o último fim de semana sem médico, o que agravou ainda mais os sofrimentos e dificuldades de pacientes e familiares dessa área, que já sofre com grave falta de recursos assistenciais.

 

Não há como negar que a remuneração médica no serviço público, a falta de uma perspectiva de carreira nos serviços públicos municipais, são fatores que pesam. Não são atrativos para os médicos e nem os fixam no SUS. Negar isso seria cinismo ou indiferença criminosa.

 

No mesmo dia o Presidente do Sindicato reuniu-se com representantes dos conselhos de saúde da Zona Norte, ouvindo queixas e denúncias contra as graves condições da assistência naquela região e esclarecendo os interlocutores quanto aos graves problemas que rondam, cada vez mais, o SUS de Juiz de Fora.

 

A opinião pública e as autoridades estão cientes da existência do problema e de sua gravidade. A população está cansada do sofrimento decorrente dessa grave situação. Esperam-se providências e responsabilidade.