Médicos terceirizados de saúde da família mantém greve e discutem demissão coletiva

Sorocaba- 28/05/2011 08:54

Médicos de USFs decidem manter greve e já cogitam demissão coletiva

TRT julga que descontos em função do movimento não serão devolvidos até decisão do dissídio; estimativa é que 10,2 mil consultas foram canceladas

Felipe Barduchi/Agência BOM DIA

Holerite com desconto em salário de profissional em greve; em alguns casos, valor descontado chega a R$ 3,5 mil

Taís Iatecola
Agência BOM DIA

Em greve há 111 dias, os 22 médicos de USFs (Unidades de Saúde da Família) decidiram ontem, durante assembleia na APM (Associação Paulista de Medicina), manter o movimento e já cogitam a possibilidade de demissão coletiva. Segundo o médico Alexandre Peres, membro da comissão de negociação, desde que a greve teve início, em fevereiro, cinco profissionais já pediram demissão.

“Hoje [ontem] mais um informou que na segunda vai comunicar seu desligamento. Não somos políticos, nem temos cargos administrativos, apenas pedimos o que é justo. Já começamos a pensar em colocar nossos cargos à disposição.”

Ele comenta que a categoria está sem reajuste há 11 anos e que reivindicações não são apenas salariais, mas estruturais. “Faltam agentes de saúde, remédios, equipamentos, não dá para trabalharmos nessa situação.
Mesmo assim não há diálogo. Estamos atendendo 90% da população em período parcial para cumprir determinação do TRT e resguardar nossos colegas dos pronto-socorros.”

O estopim da crise foi a decisão do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) sobre medida cautelar dos médicos que exigia a devolução dos descontos salariais feitos dos grevistas pela empregadora, a Maternidade Gota de Leite.  O Tribunal decidiu na quinta-feira que a reversão dos descontos só poderá ser feita após julgamento do dissídio coletivo. “Alguns descontos chegam a R$ 3,5 mil e já tem gente pedindo empréstimo. Alguns só têm essa fonte de renda e estão trabalhando de dois a três dias em período integral para que a situação não se agrave mais”, conta Peres.

O advogado dos médicos, Marco Furlan, acredita que o julgamento do dissídio deve acontecer na próxima semana. “A nosso favor temos o parecer do Ministério Público do Trabalho de que a greve é legal, mas vou recorrer da medida cautelar.”

Estimativa é que, desde que a greve teve início, 10,2 mil consultas foram canceladas. A prefeitura foi procurada para informar se pretende negociar com os médicos grevistas, porém não se pronunciou até o fechamento desta edição.
http://www.redebomdia.com.br/noticias/dia-a-dia/55162/medicos+de+usfs+decidem+manter+greve+e+ja+cogitam+demissao+coletiva

Comente ou deixe um trackback: URL do Trackback.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: