Urgente! Paralisação Nacional – Protesto dos Médicos do Brasil – dias 30 e 31 de julho

Urgente!
Favor divulgar.

Dia 30 e 31 de julho os médicos do SUS não vão atender.

Dia 30 de julho – 11 horas – Concentração diante da Câmara Municipal – protesto nacional dos médicos – #vemprarua Vamos à luta!

Fax Sindical
29 de julho de 2013
Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora e da Zona da Mata de MG

Conforme decisão de Assembleia Geral Estadual conjunta realizada 16 de julho, com participação dos sindicatos médicos mineiros, CRMMG e Associação Médica de Minas Gerais, nos dias 30 e 31 os médicos do SUS não vão atender.
O motivo é a forma autoritária e prejudicial à categoria com que o governo tem conduzido a pauta da Saúde, menosprezando todas as reivindicações dos médicos e omitindo os prejuízos causados ao sistema público de saúde pela deficiência de financiamento e por gestões incompetentes e/ou corruptas.

Além disso, nas mesma semana que anunciou a bolsa de 3 anos intitulada “Mais Médicos” imposta unilateralmente pelo Ministério da Saúde, a presidente Dilma vetou a Lei que regulamenta a Medicina no Brasil, o chamado “Ato Médico”, que tramitou 11 anos no Congresso e foi tratada em 27 audiências públicas. A decisão presidencial foi de claro desrespeito ao Congresso Nacional, aos congressistas e aos médicos.

Trata-se de uma jornada de protesto nacional. A resposta que o Brasil dá a tantos absurdos.

Médicos: pelo menos 20 estados já confirmam nova paralisação para amanhã e quarta

Seguindo o calendário de greve da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), pelo menos 20 estados já confirmaram adesão à paralisação dos dias 30 e 31 de julho. Os sindicatos médicos de todo Brasil continuam a luta contra o Programa Mais Médicos e os vetos à Lei que regulamenta o exercício da medicina. O movimento, que conta com maior adesão para esta terça e quarta-feira, promete maior impacto que no último dia 23.

“A FENAM delibera suspensão tanto do sistema público, quanto do suplementar. É uma luta geral, em nome da medicina e da população brasileiras”, ressaltou o presidente da entidade, Geraldo Ferreira.

A mobilização desta semana é preparatória para a grande marcha à Brasília no dia 08 de agosto, quando ocorrerá uma audiência pública sobre o Mais Médicos no Congresso Nacional. Após 10 de agosto, quando se finda a programação estabelecida, será realizada uma avaliação das reivindicações da categoria. Caso não haja avanços no movimento, a Federação adianta que decretará greve por tempo indeterminado.

Confira abaixo à programação dos sindicatos:

Acre:

Desde o dia 23, os médicos decidiram pela deflagração de greve por tempo indeterminado. Caso haja pressão para o retorno ao trabalho, o médico poderá encaminhar os nomes dos gestores que estão realizando a coação.
Os nomes dos acusados comporão uma lista que será entregue aos Ministérios Públicos Estadual e do Trabalho para serem processados por assédio. Os nomes dos gestores também podem ser enviados pelo e-mail sindmedacre@hotmail.com ou pelos telefones 3224-6483 e 3224-2390.

Amazonas:

Calendário de mobilizações:
Dia 30: Greve e manifestação, às 9h, na sede da Prefeitura de Manaus; Dia 31: Greve e manifestação, às 9h, na sede de Governo do Estado;
Atenção: Nos dias de mobilização haverá lista de presença para assinaturas dos médicos.

Denúncias
A Ouvidoria do Simeam também estará recebendo denuncias durante o período grevista, dos médicos e da população, sobre as condições de trabalho nas unidades de saúde, falta de medicamentos e demora na realização de exames por meio de fotos, vídeos ou textos através do e-mail ouvidoria@simeam.org.br e pelos telefones 3651-7798/3308-9313.

Bahia:

Em reunião realizada com o Cosemba, os médicos definiram a programação de ações de protesto para os dias 30 e 31 de julho, quando haverá a greve geral, em todo o país.

No dia 30 de julho o Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA), promove um debate público, mediado por Rogério Queiroz. Começa a partir das 14hs na sede do MP.

Os convidados serão diretores de escolas de medicina, representantes da Defensoria Pública, OAB, vereadores e deputados estaduais e federais, senadores, AMAB, AMAP, diretores acadêmicos, ligas e médicos e residentes via CEREM.

No dia 31 de julho, os presidentes do CREMEB, ABM e Sindimed junto com os parlamentares, participam do café da manhã na ABM a partir das 7h30. À tarde acontecerá a feira de saúde no canteiro central da Centenário, na Barra, das 15h às 18h.

Os médicos seguem em caminhada até o Farol da Barra com cartazes, faixas e panfletos abordando diversos temas ligados a melhoria da saúde pública, como o Revalida, condições de trabalho e corrupção, Programa Mais Médicos, carreira de estado, Brasil +10 e o Ato Médico.

Ceará:

Categoria define nova programação para próximas mobilizações
Comissões do movimento no Ceará definem e divulgam nova programação para os próximos dias.

Dias 30 e 31 de julho: PARALISAÇÃO NACIONAL
30/07 – TERÇA-FEIRA
10 horas: Concentração no Hospital Geral de Fortaleza para dar um ABRAÇO no hospital.
16 horas: Atendimento à população, panfletagem e exposição de fotos, na Praça José de Alencar.

31/07 – QUARTA-FEIRA
9h30min: Panfletagem em frente ao Hospital das Clínicas, em direção a Av. José Bastos. 10 horas: Pediatras farão atendimento à população, na Praça do Coração de Jesus.
14 horas: Atendimento à população, panfletagem e exposição de fotos, na Praça do Coração de Jesus.
16 horas: Caminhada que sai da Praça do Coração de Jesus para o núcleo do Ministério da Saúde no Ceará. OBS: Todos de jaleco branco.
19 horas: Assembleia Geral para avaliação do movimento e próximos passos, no CREMEC.
ATENÇÃO: Os médicos que quiserem fazer atendimentos nas praças podem ligar ou enviar e-mail para o SIMEC para confirmar participação, informando nome, especialidade e qual horário e dia de sua preferência. Contatos: (85) 3261-4788 – E-mail: imprensa@simec.med.br

Distrito Federal:

O SINDMÉDICO-DF, a FEBAM, o CRM/DF, a AMBr e a ABRAMER convocam todos os médicos das redes pública, privada e suplementar, residentes e estudantes de medicina a participar das paralisações que serão realizadas nos dias 30 e 31 de julho (terça e quarta-feira)

Nos dias 30 e 31 não serão realizadas consultas e cirurgias eletivas. Serão mantidos apenas os atendimentos de emergência e urgência. Todos os médicos – dentro e fora dos consultórios – devem usar roupas, tarjas ou laços pretos para destacar o protesto. Ao abordarem ou serem abordados pelos pacientes, devem mostrar que a classe médica repudia a gestão da saúde pelo governo da presidente Dilma Rousseff, os equívocos e consequências das medidas anunciadas.

Programação
Dia 30 – Suspensão de atendimentos eletivos, luto, panfletagem nos hospitais nos turnos matutino e vespertino e ato público no Ministério da Saúde, às 15h.
Dia 31 – Suspensão de atendimentos eletivos, luto, panfletagem nos hospitais nos turnos matutino e vespertino e assembleia na AMBr (Setor de Clubes Sul, Trecho 3, Lote 16) , às 19h.

Espírito Santo:

Além da paralisação nos dias 30 e 31, a programação do movimento inclui mobilização de médicos pelas redes sociais, envio de e-mails para toda a categoria, panfletagem, publicação de vídeos denúncia na internet e a participação de residentes e acadêmicos de medicina num grande ato público.

Confira programação:

30/07 – Paralisação de todo atendimento eletivo na rede pública e privada
Â.Blitz em Hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPA) da Grande Vitória para verificar as condições de atendimento à população

31/07 – Paralisação de todo atendimento eletivo na rede pública e privada .Audiência com parlamentares
.Ato público com concentração em frente ao CRM-ES

Goiás:

A paralisação começa à zero hora da próxima terça-feira (30), e termina à meia-noite de quarta-feira (31). O SIMEGO salienta que a greve é presencial, os médicos devem se dirigir ao seu local de trabalho e registrar sua presença.
Durantes esses dias todos os atendimentos eletivos do SUS, convênios e particulares, devem ser suspensos, mantendo apenas os atendimentos de urgência e emergência, as evoluções de pacientes internados, plantões de UTI, plantões de regulação de urgência e transplantes.

Dia 31
Paralisação dos atendimentos Médicos eletivos.
Manifestação no Paço Municipal de Goiânia às 15:00 horas.
Assembleia Geral, às 19 horas no Cremego, na qual serão discutidos os rumos do movimento.

Maranhão:

Dia 30/07/13-Passeata dos médicos e acadêmicos às 9:00 horas.Percurso da passeata: saída em frente ao Hospital Dutra -HUUFMA, passando em frente do Hospital Materno Infantil, Hospital Português , Santa Casa de Misericórdia , encerrando em frente ao Hospital Djalma Marques (Socorrão I), no centro da cidade.

Dia 31/07/13- Coletiva de imprensa com as entidades médicas : CRM-MA, Sindicato dos Médicos , AMB , com participação dos acadêmicos de medicina. Local: Auditório do CRM-MA, no horário da tarde.

Mato Grosso

As entidades médicas do estado de Mato Grosso (AM-MT, CRM-MT E SINDIMED-MT) decidiram pela mobilização no dia 30, com camiseta de protesto e diálogo com pacientes. Já na quarta haverá paralisação, com assembleia às 14h no CRM e às 16h manifestação.

Mato Grosso do Sul:

Os médicos de Mato Grosso do Sul paralisarão o atendimento ambulatorial nas redes pública e privada dia 31 deste mês, (quarta-feira). No mesmo dia da paralisação os médicos da Capital estarão na praça Ary Coelho, a partir das 9h, realizando orientações à população em diversas áreas de especialidades médicas.

Minas Gerais:

Os médicos foram convocados para paralisação do atendimento nos setores público e suplementar, exceto as urgências e emergências, para os dias:
– Terça Feira- 30 de julho- Paralisação no atendimento e coletiva de imprensa na AMMG às 12h, onde todos estão convidados a participarem.
– Quarta-Feira- 31 de julho – Paralisação com concentração dos médicos no CRMMG às 17h e passeata até a sede da AMMG onde será realizada uma assembleia dos médicos às 19h.

Pará

Amanhã, 30, terá AGE no Sindicato, chamada de Assembleia da Resistência porque se discutirá exclusivamente o veto ao Ato Médico e o programa Mais Médicos. Serão decididas ações e estratégias de resistência aos ataques que têm sido desferidos contra a categoria.

Paraíba:

A Paraíba seguirá o calendário de greve da FENAM. Haverá assembleia às 9h no CRM com lista de presença no dia 30/07. No dia 31 todos devem estar às 10h na assembleia legislativa para sessão especial onde será debatido o programa “Mais Médicos” com os deputados.

Paraná:

Os médicos do Paraná voltarão a paralisar suas atividades nos dias 30 e 31 de julho. A nova paralisação da classe médica paranaense será marcada pela concentração de médicos, residentes e estudantes de medicina às 9h30 do dia 30 na Praça Rui Barbosa, no centro de Curitiba, em um grande ato público da categoria. À tarde, distribuídos em diversos pontos de concentração popular da cidade, os médicos realizarão um trabalho de conscientização da sociedade, com a distribuição de panfletos e conversas com a população. O ato junto à população será repetido nos períodos na manhã e da tarde do dia 31. No fim do dia haverá um novo encontro dos médicos na sede da AMP para avaliar o movimento e decidir os próximos passos.

Pernambuco:

Amanhã (30) e na quarta -feira (31/07), os médicos de Pernambuco irão suspender os serviços eletivos públicos e privados, resguardando os atendimentos das emergências, urgências, quimioterapia, radioterapia, hemoterapia, hemodiálise e afins.

Durante os dias de paralisação serão realizadas duas importantes ações:
Terça-feira (30/07) – blitz nas unidades de saúde do Estado, com o objetivo de identificar pacientes que estejam aguardando transferência, para leitos de enfermaria, de cirurgia e de UTI, além de mostrar o déficit estrutural dos serviços. Os dados serão encaminhados ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Quarta-feira (31/07) – mutirão de atendimentos, no Memorial da Medicina, Rua Amaury de Medeiros, 206, Derby, 08h às 14h. Na ocasião serão realizadas consultas médicas na área de cardiologia, clínica médica, dermatologia e pediatria. À noite será realizada uma Assembleia geral extraordinária, às 19h, no auditório da Fafire, Av. Conde da Boa Vista, 921, Boa Vista. Pauta: rumos do Movimento Nacional Médico.

Piauí:

De 23/07 a 31/07 – Médicos devem trabalhar tanto em vínculo privado como público usando o adesivo “Orgulho de ser médico!” e entregarão aos pacientes a “Carta Verdade” elaborada pelas Entidades Médicas, relatando a verdade sobre o impasse entre médicos e o Governo Federal.

Rio de Janeiro:

paralisar suas atividades nos próximos dias 30 e 31/7, seguindo a orientação das entidades médicas nacionais, e mantendo somente os atendimentos de urgência e emergência. O Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (SinMed/RJ) já comunicou aos gestores da saúde das três esferas de governo e aos sindicatos patronais sobre a decisão dos médicos, destacando o direito dos profissionais de se organizar por melhores condições de trabalho e remuneração, com base na Constituição Federal e no Código de Ética Médica.

O Departamento Jurídico do SinMed/RJ destaca que nenhum gestor/empregador poderá adotar qualquer medida de represália aos médicos que aderirem à paralisação. Eles não poderão ser punidos, nem sofrer coação ou qualquer tipo de sanção (advertência, suspensão ou demissão). E ainda, se houver desconto pelo dia não trabalhado, este poderá ser objeto de negociação entre o SinMed/RJ e o gestor/empregador, podendo o caso até ser submetido à Justiça.

Dia 30/07:
9h – Doação de sangue, no Hemorio
11h – Ato público no Hospital Souza Aguiar e passeata até a Prefeitura, onde será realizada assembleia.

Dia 31/7:
11h – Ato Público na Cinelândia e passeata até o Ministério da Saúde e depois até a ALERJ.
Nos dois dias serão haverá paralisação dos atendimentos ambulatoriais e eletivos, sendo mantidos os atendimentos de urgência e emergência.

Rio Grande do Norte:

Médicos paralisarão nos dias 30 e 31 de julho. Nesta terça-feira, o dia se inicia com manifestação. Concentração às 8:30h no Hospital Walfredo Gurgel e segue com caminhada até a governadoria.

Rio Grande do Sul:

Médicos e estudantes de Medicina do Rio Grande do Sul vão parar nesta terça (30) e quarta (31). A mobilização atingirá diversas regiões do Estado e as áreas pública e privada. Nesta terça-feira, às 15h, entidades médicas gaúchas farão balanço do primeiro dia da paralisação, em entrevista coletiva em Porto Alegre. O movimento atingirá 50% dos serviços não urgentes. A expectativa é de que as direções dos serviços providenciem reagendamento dos atendimentos. Postos de urgência e emergência não serão afetados.
Além da Capital, a paralisação atingirá os serviços eletivos de saúde de outras nove cidades gaúchas: Erechim, Bagé, Santa Cruz do Sul, Passo Fundo, Rio Grande, Santana do Livramento, Uruguaiana, Santa Maria e Ijuí. Desde quarta-feira, um dia após a assembleia estadual decidir pela paralisação, os serviços de saúde começaram a ser notificados. O Sindicato Médico do RS (SIMERS) informa que a população também está sendo comunicada da mobilização em diversos pontos de atendimento.

Os serviços de urgência e emergência funcionarão normalmente. Casos graves não deixarão de ser atendidos em nenhum lugar. Quem estiver de plantão em serviços de urgência e emergência estará fora da paralisação, mas apoiará integralmente o movimento. Rondônia: **
Paralisação dias 30 e 31.

São Paulo:

Os médicos paralisarão. A próxima quarta-feira, 31, promete novas manifestações de médicos na capital paulista. A exemplo do que aconteceu nos últimos dias 3 e 16 de julho, a categoria voltará às ruas com concentração, às 16h, na Associação Paulista de Medicina (Av. Brigadeiro Luiz Antonio, 278), seguindo em direção à Avenida Paulista e sendo encerrada na sede do Cremesp (rua Consolação, 753).

Santa Catarina:

O Conselho Superior das Entidades Médicas de Santa Catarina (Cosemesc) confirma para o dia 31 de julho – quarta-feira, paralisação geral da categoria. A suspensão de atendimentos está prevista para a rede pública e privada e só não ocorrerá em casos e locais de urgências/emergências e tratamentos que não possam ser interrompidos

Programação:
Florianópolis
Hora- 10h às 14h
Local- Ponto Chic- Entre esquina da Felipe Schmidt com a Trajano. Enterro simbólico dos três ministros que não querem o Revalida: Padilha, Mercadante e Patriota.

Enviado do meu BlackBerry® da TIM

Anúncios
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: