Médico chora ao falar sobre precariedade de hospital: ‘Estoque de comida vai zerar’

As autoridades, os políticos que nós votamos ou que foram eleitos porque deixamos de votar, juízes, juristas, dizem que, perante a lei os valores mais altos são a vida e a saúde. O leitor atento pergunta se tal dedução nasce da ignorância ou é uma demagogia deslavada. Não são raros os casos em que hospitais têm que recorrer à caridade para alimentar pacientes, garantir medicamentos básicos e médicos trabalham sem salário ou com salário atrasado e/ou parcelado. E eles lá, com altos cargos e salários, dizem que a vida e a saúde são os valores mais altos para o Estado. 

“O diretor técnico do Hospital Regional de Sorriso, a 420 km de Cuiabá, Roberto Satoshi, chorou, nesta segunda-feira (22), durante entrevista sobre a precariedade na unidade de saúde por atrasos nos repasses por parte do governo do estado, inclusive com a falta de alimentos para servir aos pacientes. Alguns serviços, como cirurgias, estão parcialmente suspensos desde março porque os médicos estão há três meses sem receber. Segundo a direção, a dívida do estado com a unidade é de R$ 8 milhões”
http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/medico-chora-ao-falar-sobre-precariedade-de-hospital-nunca-vi-isso-em-30-anos.ghtml

Anúncios
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: