Arquivos de tags: Artur Chioro

Médicos do Odilon Behrens organizam protesto em “luto” por fechamento de 12 leitos

As equipes médica e de enfermagem do Hospital Odilon Bherens (HOB) programaram para o próximo domingo (6) um protesto pelo fechamento de ao menos 12 leitos de emergência e urgência. Conforme funcionários da unidade de saúde, as vagas serão fechadas com a transferência do pronto-socorro para Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Noroeste II, anexa ao HOB.

“Vamos fazer uma mobilização em luto, pelo enterro da emergência. O ato foi marcado para não termos que fazer enterro de pessoas”, declarou o médico emergista Leonardo Paixão, que há 11 anos atua no hospital.

Conforme ele, a direção do HBO, juntamente com a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), optou por transferir o setor de emergência e urgência para a UPA com a intenção de desafogar o hospital, que constantemente está superlotado.

Contudo, o pronto-socorro do HBO conta hoje com 22 leitos, e na UPA serão abertas somente quatro leitos de urgência e outros seis de emergência. Paixão ressalta, ainda, que a UPA não recursos materiais para cuidar dos casos, o que pode agravar a situação de um paciente.

O médica explica que casos de urgência são os que necessitam de atendimento rápido, mas sem risco de morte para o paciente. Já os casos de emergência são aqueles em que apresentam risco imininente de morte do paciente se o atendimento não acontecer na hora. “Tememos por mortes”, lamentou.

A reportagem do Hoje em Dia entrou em contato com a direção do HBO e aguarda posição da unidade de saúde. A Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) informou que irá se pronunciar na mesma nota que será enviada pelo hospital.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) confirmou que irá entregar à população, nos próximos dias, nova Unidade de Pronto Atendimento (UPA), a UPA Noroeste HOB. “Desta forma, parte da unidade de urgência do HOB passará a funcionar no prédio da nova unidade, localizado na Rua Saldanha Marinho, proporcionando à população e aos trabalhadores melhores acomodações e um fluxo exclusivo para os atendimentos de urgência e emergência”, informou.

Ainda conforme a SMSA, a nova unidade tem espaço duas vezes maior que a área de urgência e emergência do HOB e “instalações mais modernas e amplas e configura um ganho para a população de Belo Horizonte”. Entretanto, o órgão não comentou sobre o possível fechamentos das vagas.

Atualmente, o HBO é a maior unidade de emergência clínica de Minas. A mudança para a UPA está prevista para acontecer na terça-feira (8). Já o protesto está marcado para domingo, às 10 horas.

 

 

Fonte: Médicos do Odilon Behrens organizam protesto em “luto” por fechamento de 12 leitos

#CRISEnoSUS – A meta de aumentar número de médicos vai corresponder a uma melhoria da saúde?

Ideologias sempre brigam com fatos.

O dirigismo estatal tem seus graves problemas, que se tornaram mundialmente conhecidos quando se descobriu a extensão do desastre dos planos quinquenais da antiga URSS e do dirigismo estatal no Leste Europeu, nos anos que se seguiram à queda do Muro de Berlim. Mas no Ministério da Saúde, no Brasil do Terceiro Milênio, a burocracia do Ministério da Saúde, a mesma que não vê nenhum impedimento em negociar com a ditadura cubana, ainda pensa em dirigismo estatal.

Aqui o dirigismo estatal foi, mais uma vez, estampado na ideia do Ministério de criar uma meta (“dobrar a meta”?) de que no Brasil existam 2,7 mil médicos por 1.000 habitantes até o ano 2026. Uma das táticas para atingir a meta estatal seria a proliferação de faculdades de Medicina, sem a habitual preocupação de formar professores de Medicina qualificados suficientemente e com absoluto descaso com a infraestrutura necessária para o funcionamento de uma faculdade de Medicina, minimamente razoável. Esta proliferação já está em curso.

No estado do Rio de Janeiro, existem doze cidades onde esta meta do Ministério da Saúde  já foi ultrapassada. Isso, contudo, não resultou em melhoria expressiva dos serviços públicos de saúde. Há cidades em que o número de médicos ultrapassa a “meta”, contudo não há leitos. O resultado, todos sabem, são corredores de hospitais superlotados e pessoas sofrendo no aguardo de leitos hospitalares. Os médicos e as pessoas que efetivamente usam o SUS conhecem essa realidade. “Mais médicos”, menos leitos. E, dos hospitais “padrão FIFA” ninguém mais fala.

Acreditamos que o Ministério da Saúde, como todos os que são adeptos do dirigismo estatal, tem dificuldades em lidar com a realidade de forma coerente. A ampliação do número de médicos, independentemente da qualidade da formação desses profissionais, não vai significar melhoria da qualidade dos serviços públicos de saúde. O aumento do número de médicos, não vai traduzir automaticamente em melhor distribuição de profissionais. O aumento do número de médicos não vai significar que os profissionais irão trabalhar do serviço público. Se o serviço público continuar inóspito aos médicos, incapaz de atrair e fixar profissionais, muitos profissionais procurarão em outras atividades ou no empreendedorismo uma alternativa mais leve e tranquila para ganharem suas vidas sem a pesada responsabilidade inerente ao ser médico. O fato de existirem pessoas com diplomas universitário exercendo outras funções que não aquelas para as quais estudaram e se formaram, já existe em várias outras profissões. Além disso há a chance dos médicos com melhor formação migrarem para países onde poderão exercer seu trabalho com muito mais qualidade, com mais entusiasmo e remuneração mais digna e melhor padrão de vida.

Essas questões não são apreciadas pelos planejadores estatizantes, que estabelecem suas metas, fazem seus planos quinquenais e acreditam que a realidade é que tem que se acertar com as ideias e planos deles.

A presidente Dilma Rousseff, do PT, vetou a carreira de estado para médicos.

A matéria sobre a situação no RJ, a qual nos referimos acima, é do site do jornal O Globo, e pode ser conferida a partir do link:

Quase 30% das cidades do Rio têm menos de um médico para cada mil habitantes | Na base dos dados – O Globo

Fonte: Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS e ilusionismo – A meta de aumentar número de médicos vai corresponder a uma melhoria da saúde?

Mais Médicos não resolveu problemas estruturais na Saúde

A iniciativa do governo de alocar “Mais Médicos” ao sistema público de saúde, por meio da instituição de uma bolsa e do recrutamento de profissionais cubanos, em uma enorme operação internacional de terceirização de mão de obra, tornou o SUS melhor? A acreditar na propaganda eleitoral do governo, sim. Para quem vive o dia a dia dos serviços públicos de saúde, os resultados são duvidosos ou parecem diluídos em um sistema cheio de gargalos e problemas. Em Diadema – SP, dois anos depois da implantação do programa, os resultados não foram muito animadores. Os problemas estruturais do SUS só pioraram durante o período.

Mais Médicos não resolve problemas estruturais na Saúde – Diário do Grande ABC – Notícias e informações do Grande ABC: mais médicos,saúde,programa,federal,clínico

Dois anos após a chegada dos profissionais do Programa Mais Médicos, do governo federal, nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) de seis cidades da região (São Caetano não aderiu), o cenário da Saúde básica pouco avançou. Embora a presença dos 150 clínicos colabore para a ampliação do atendimento na área da Medicina de Família, não é suficiente para atender a demanda de pacientes e resolver problemas como falta de infraestrutura nas unidades.
Diadema, que recebeu dez médicos do programa, embora tenha solicitado 35, é exemplo de local onde a população tem dificuldades em agendar consultas com o clínico, principalmente nas áreas periféricas, como o Jardim Inamar e a Vila Paulina. Vale lembrar que o município perdeu o primeiro prazo para adesão ao Mais Médicos, em 2013.

Em Destaque

Conforme o conselheiro de Saúde do Jardim Inamar Antônio de Andrade, a UBS tem três equipes de Saúde da Família, quando o ideal para a demanda seria sete. “Os médicos não querem trabalhar nas periferias porque, além de não terem estrutura, existe o problema da violência”, destaca.

Fonte: Telegrama Sindical: Mais Médicos não resolve problemas estruturais na Saúde – Diário do Grande ABC – Notícias e informações do Grande ABC: mais médicos,saúde,programa,federal,clínico

#CRISEnoSUS – Salvador – BA – Empresa que não assinava carteiras de trabalho agora demite médicos de UPA

#CRISEnoSUS – Salvador – BA – Empresa que não assinava carteiras de trabalho agora demite médicos de UPA

A empresa Pró-Saúde, que atua em UPA de Salvador, não assinava carteira de plantonistas e agora demite médicos em retaliação por greve recente. Divulgamos aqui recentemente que três dessas empresas, verdadeiras “empreiteiras do SUS”, estão sob investigação policial no estado de São Paulo, sob suspeita de aliciar e empregar falsos médicos terceirizados em municípios paulistas.

Bahia Notícias / Notícia / Mesmo após acordo com TRT-BA, empresa demite médicos da UPA de Escada – 02/09/2015

Quase uma semana após o fim da greve de médicos da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro de Escada, no subúrbio ferroviário de Salvador, a empresa terceirizada Pró-saúde demitiu nove profissionais da unidade na última terça-feira (1º), segundo informações do Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindimed).

Fonte: Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS – Salvador – BA – Empresa que não assinava carteiras de trabalho agora demite médicos de UPA

 #CRISEnoSUS Instituto que terceirizava médicos falsos no SUS pagava salário diferenciado.

#CRISEnoSUS Instituto que terceirizava médicos falsos no SUS pagava salário diferenciado.

Continua repercutindo o escândalo dos falsos médicos no SUS. Por enquanto o escândalo se restringe a cidades do interior de SP, mas avalia-se que pode ser bem pior. Agora descobriu-se que uma das pessoas jurídicas, “sem fins lucrativos”, pagava salário diferenciado aos falsos médicos. Indícios de que as “instituições sem fins lucrativos” sabiam que os médicos eram falsos, tanto é que faziam pagamentos diferenciados.

A matéria pode ser lida em –

G1 – Instituto em SP que empregou falsos médicos sabia de fraude, diz suspeito – notícias em Ribeirão e Franca

Um dos falsos médicos que trabalhou em Franca (SP), Pablo Mussolin, disse em depoimento à polícia em Mairinque
(SP), que o Instituto Ciências da Vida (ICV), responsável pela
contratação dos funcionários do Pronto-Socorro “Dr. Álvaro Azzuz”, tinha
conhecimento do registro ilegal dos profissionais que atuaram no
município entre julho e outubro de 2014. Em nota, o instituto voltou a
negar qualquer participação na fraude e afirmou que é “vítima do
esquema”.

Preso desde julho deste ano, Mussolin também afirmou em seu depoimento
que cursou medicina na Bolívia e que entrou no esquema de contratação do
instituto depois de ser procurado por Bertino Rumarco da Costa, outro
brasileiro sem registro profissional que também foi preso atuando
ilegalmente.

Segundo a delegada Fernanda Ueda, responsável pelas investigações em
Marinque, Mussolin divulgou outras informações que serão apuradas para
confirmar se houve envolvimento do ICV nas fraudes. Segundo o suspeito, o
instituto pagava salários menores para os falsos médicos.

“Constatamos que há uma divergência em relação aos valores [recebidos
pelos médicos]. Alguns médicos regulares recebiam em torno de R$ 1,2
mil, R$ 1,4 mil. Por sua vez, os falsos médicos falavam que recebiam R$
800, R$ 1 mil. Esse valor era um tanto quanto variável, mas sempre menor
que os médicos regulares”, afirma.

Fonte: Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS Instituto que terceirizava médicos falsos no SUS pagava salário diferenciado.

#CRISEnoSUS – Apesar de novos médicos, paciente diz conseguir consulta só para 2016

#CRISEnoSUS – Apesar de novos médicos, paciente diz conseguir consulta só para 2016

O gestor mente. A matéria jornalística o desmente. Problemas graves da saúde não podem ser enfrentados com mentiras e práticas eleitoreiras. Democracia exige transparência. De nada adiantam os segredos escondidos da opinião pública. Novos médicos não sanearam escassez de profissionais e o “Mais Médicos” não é a varinha mágica que resolveu os problemas de um sistema de saúde com problemas crônicos e em situação falimentar. Leia a matéria sobre esse caso em:

G1 – Apesar de novos médicos, paciente diz conseguir consulta só para 2016 – notícias em Itapetininga e Região

28/08/2015 18h42
– Atualizado em
28/08/2015 18h50

Apesar de novos médicos, paciente diz conseguir consulta só para 2016

‘Moço disse que até dezembro está fechado’, diz moradora de Itapetininga.
Prefeitura nega que agenda esteja cheia e aponta que há horários em posto.


Do G1 Itapetininga e Região

A Prefeitura de Itapetininga (SP) contratou em julho 27 médicos para trabalhar na rede pública depois de seis meses com déficit de profissionais,
mas apesar dos novos médicos moradores reclamam que ainda há demora no
atendimento. A dona de casa Isolina de Fátima Batista, por exemplo, diz
que tentou marcar uma consulta no posto de saúde Bairro Taboãozinho e
que havia disponibilidade somente a partir de 2016. “O moço falou que
não está marcando médico porque até dezembro está fechado. É duro,
porque precisamos do médico e nunca conseguimos. Precisa de mais
médicos”, diz.

Moradora tentou marcar consulta, mas não conseguiu (Foto: Reprodução/ TV TEM)Moradora tentou marcar consulta, mas não

conseguiu (Foto: Reprodução/ TV TEM)

O Executivo nega que no local as consultas no posto do bairro são
realizadas daqui a quatro meses. A nota informa que o médico que atende
na unidade terças, quartas e sextas-feiras das 7h às 15h está com agenda
aberta até o final de setembro e que ainda há vagas.

Mas a negativa ao tentar agendar uma consulta foi flagrada tanto entre
uma conversa entre Isolina e a equipe do posto de saúde, quanto por um
produtor da TV TEM disfarçado. As consultas não são
marcadas, e quem quer ser atendido precisa estar disponível desde às 7h
no local e torcer para ser encaixado para atendimento. “Estamos com a
agenda do médico fechada, ele só atende por encaixe. Está encerrada a
agenda esse ano”, diz funcionário do posto. (ouça o áudio acima)

Fonte: Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS – Apesar de novos médicos, paciente diz conseguir consulta só para 2016

Governo Dilma quer ressuscitar a CPMF. “Mais Impostos” sob pretexto de financiar a saúde.

Governo Dilma quer ressuscitar a CPMF. “Mais Impostos” sob pretexto de financiar a saúde.

Adib Jatene faleceu em 2014. O necrológio do cardiologista Adib Jatene registra que ele “atuou como ministro da saúde dos presidentes Fernando Collor de Melo, por oito meses, no ano de 1992; e Fernando Henrique Cardoso, entre 1995-1996. Foi durante este período que criou a Contribuição Provisória Sobre Movimentação Financeira (CPMF), para financiar a saúde pública. ”

(Fonte: http://portalamazonia.com/noticias-detalhe/cidades/morre-cardiologista-acreano-adib-jatene/)

Adib Jatene ficou com essa pecha na sua biografia, lembrada no seu necrológio, que foi a invenção de um novo imposto, para agravar ainda mais os bolsos dos brasileiros, que seria para “financiar a saúde pública” e, bem nos lembramos, serviu para muita coisa, menos para financiar a saúde pública.

Mas, como muitos já esqueceram, o governo de Dilma joga a suposta “memória curta do eleitor” para tentar emplacar, mais uma vez, a mesma fracassada experiência. E isso já não é segredo para ninguém.

O ministro Artur Chioro é o homem que quer enfiar a mão no bolso do contribuinte. A questão é saber se os congressistas também apostarão na “memória curta do eleitor” e aprovarão alegremente a criação de mais impostos. A burocracia do Ministério da Saúde já está em ação e Chioro acredita já ter convencido o Planalto. O Planalto, se aceita os argumentos do Ministro da Saúde, prova que está sem crítica de sua impopularidade. Os burocratas do Ministério da Saúde não se preocupam com isso. Afinal simpatizam com o modelo cubano.

Leia a matéria sobre as tramóias para criar um “Mais Impostos” na matéria -> Governo propõe recriar CPMF com alíquota de 0,38% e vinculação à saúde – Economia – Estadão

O governo vai propor a recriação da CPMF, mesmo enfrentando a resistência de parlamentares e empresários. Pela proposta, será cobrado 0,38% sobre cada movimentação financeira, a mesma alíquota que vigorava em 2007, quando a contribuição foi extinta. A decisão foi tomada nesta quinta-feira pelos ministros da equipe econômica e pela presidente Dilma Rousseff. Na segunda-feira, o anúncio deve ser feito junto com a proposta de lei orçamentária para 2016.
A expectativa é que a recriação do tributo seja proposta por emenda à Constituição. As estimativas do governo apontam que, com alíquota de 0,38%, a CPMF poderia trazer aos cofres públicos cerca de R$ 70 bilhões ao longo de um ano.

Fonte: Telegrama Sindical: Governo Dilma quer ressuscitar a CPMF. “Mais Impostos” sob pretexto de financiar a saúde.

#CRISEnoSUS SP – São José do Rio Preto – Prefeitura não negocia. Bate com a mão da Justiça

#CRISEnoSUS SP – São José do Rio Preto – Prefeitura não negocia. Bate com a mão da Justiça

O direito de greve de servidores públicos é um debate jurídico que se prolonga e é questão ausente da agenda dos políticos. Mas as greves no setor público existem e insistem em acontecer, motivadas pelas causas mais diversas. Nesse caso, os médicos de São José do Rio Preto estão em greve. O que pedem? Segundo matéria do G1:
“Eles estão paralisados desde segunda-feira (24) e reivindicam reajuste de 50% no salário, gratificação de R$ 1,7 mil, além de melhorias na segurança e nas condições de trabalho.”
A Prefeitura e o Poder Judiciário não passam pelos mesmos problemas e não querem saber de melhorias na segurança e nas condições de trabalho dos médicos, e menos ainda em questões de salário defasado.

A noticia sobre o fim judicial da greve em SJ Rio Preto foi publicada em -> G1 – TJ determina que médicos em greve voltem ao trabalho em Rio Preto – notícias em Rio Preto e Araçatuba

Fonte: Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS SP – São José do Rio Preto – Prefeitura não negocia. Bate com a mão da Justiça

Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS Esse não é o SUS que dá certo. Médicos de UPA sem carteira assinada em Salvador.

#CRISEnoSUS Esse não é o SUS que dá certo. Médicos de UPA sem carteira assinada em Salvador.

 A falta de capacidade do serviço público em atrair e fixar profissionais médicos é de todos conhecida. A falta de respeito ao trabalho médico é recorrente. Esse blog está cheio de exemplos. Agora, mais um caso. Em Salvador. Médicos faziam plantão em UPA, equipamento público de saúde, sem terem sido submetidos a certame público e, nem ao menos terem suas carteiras de trabalho assinadas. Carteira assinada, até prova em contrário, é dever do empregador e direito do empregado. Esse não pode ser “o SUS que dá certo”.

A matéria sobre o a greve dos plantonistas da UPA está em ->

G1 – Após 47 dias, médicos da UPA de Escada encerram greve, diz sindicato – notícias em Bahia

“A empresa também se comprometeu em assinar as carteiras dos médicos e
vai atender as reivindicações relacionada às condições de trabalho, que
eram bastante precárias. Além disso, também ficou definido que haverá
recomposição através de pagamento  por causa dos dias parados”, disse
Magalhães, em contato com o G1.

Paralisação

Os médicos estavam com as atividades paralisada desde o dia 10 de julho. Por dia, a UPA de Escada recebe cerca de 500 pessoas.

Entre as pautas de reivindicações destavam a garantia de contratação
sob o vínculo CLT, mediante solicitação formal do profissional, valor
diferenciado para os plantões dos finais de semana, aumento do número de
ortopedistas no plantão noturno e clínicos no plantão diurno e
melhorias na segurança do local e das condições de trabalho.

Durante a greve, o sindicato informou que apenas pacientes com risco de
morte estavam sendo atendidos na unidade, além dos que já estavam
internados, e que outras pessoas eram encaminhada para outros locais.

Fonte: Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS Esse não é o SUS que dá certo. Médicos de UPA sem carteira assinada em Salvador.

#CRISEnoSUS – “Mais Especialidades” – Chioro quer cumprir promessa de campanha da Dilma

#CRISEnoSUS – “Mais Especialidades” – Chioro quer cumprir promessa de campanha da Dilma

O Ministério da Saúde anuncia seus planos para tentar cumprir o que não pode cumprir. A promessa de campanha da Dilma do PT de implantar, depois do “Mais Médicos”, o “Mais Especialidades”. E, segundo o Ministro petista da Saúde, o plano vai começar com suas investidas sobre a SBOT (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia) e o Colégio Brasileiro de Oftalmologia. O objetivo explícito é “quebrar resistências.”

Diz a matéria publicada hoje no Estadão:

O ministro, que participou no Congresso de uma audiência para prestar contas sobre os primeiros meses de gestão, afirmou que vem conversando com representantes de Colégio Brasileiro de Oftalmologia e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia para acertar detalhes do Mais Especialidades. O objetivo maior é quebrar resistências.

Será que essas sociedades de especialidades irão se deixar envolver pelos planos de um Ministro petista e da burocracia esquerdista que controla o Ministério da Saúde? Durante a implantação do “Mais Médicos” todos puderam ouvir as vozes de petistas e aliados que se ergueram na mídia, nas redes sociais, nas propagandas institucionais, todas elas tendo como alvo a desqualificação dos médicos brasileiros. Agora, com o “Mais Especialidades”, o Ministro petista Artur Chioro aparece com uma proposta de “quebrar resistências”. É a velha lição de dividir para governar. Esperamos que as citadas sociedades de especialidades fiquem atentas. Estarão negociando com quem já provou e comprovou que, mesmo tendo diploma de Medicina, não gosta de médicos.

 LEIAM A MATÉRIA COMPLETA NO LINK ABAIXO DO ESTADÃO:

Pagamento no SUS por especialidade vai mudar – Saúde – Estadão

Fonte: Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS – “Mais Especialidades” – Chioro quer cumprir promessa de campanha da Dilma