Arquivos de tags: crise social

Carência de recursos do SUS é o grande desafio do novo governo – Política

O futuro governo não incluiu uma agenda social em seu programa e, além disso, causou uma crise social antes mesmo da posse, ao dar razões para a retirada de 8 mil médicos cubanos que atuavam no Mais a Médicos, de forma abrupta e sem transição. 

A carência que abate o Sistema Único de Saúde (SUS) é o principal desafio para os próximos anos. A lenta recuperação econômica que mantém um contingente de milhões de desempregados afastou a população dos planos de saúde e, consequentemente, aumentou o volume de atendimentos públicos, que conta com recursos escassos.”

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2018/12/18/interna_politica,725974/carencia-de-recursos-do-sus-e-o-grande-desafio-do-novo-governo.shtml

Apenas 43,7% dos inscritos no Mais Médicos no RS já estão trabalhando | GaúchaZH

Das 630 vagas abertas pelo edital do Mais Médicos no Rio Grande do Sul, apenas 276 já estão preenchidas. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (17) a ZH pelo Conselho das Secretarias Municipais da Saúde do Estado (Cosemsrs).

https://gauchazh.clicrbs.com.br/saude/noticia/2018/12/apenas-437-dos-inscritos-no-mais-medicos-no-rs-ja-estao-trabalhando-cjpsrhzj30lzc01rxd42whswo.html

Infestação do Aedes põe em alerta 11 cidades do litoral de São Paulo

Nas férias, com esse verão quente, o litoral paulista atrai muitos turistas. Só que está infestado de Aedes.

http://www.rondoniadinamica.com/arquivo/infestacao-do-aedes-poe-em-alerta-11-cidades-do-litoral-de-sao-paulo,37996.shtml

Dirigentes sindicais e representantes da sociedade civil criam “Movimento Basta” para combater corrupção e desigualdade

DIRIGENTES SINDICAIS E REPRESENTANTES DA SOCIEDADE CIVIL CRIAM “MOVIMENTO BASTA” PARA COMBATER CORRUPÇÃO E DESIGUALDADE

Dirigentes sindicais de trabalhadores de diversas categorias do serviço público e da iniciativa privada e representantes da sociedade civil estiveram reunidos nessa quinta-feira, dia 05 de outubro, na sede da Confederação Nacional das Profissões Liberais – CNPL, em Brasília/DF, para criação do “Movimento Basta” contra a corrupção e a desigualdade. A proposta é unificar, em caráter suprapartidário e solidário, a luta dos movimentos já existentes em prol de um consenso comum: a proteção social.

Segundo os dirigentes sindicais, o “Movimento Basta” é uma resposta para que a conjuntura política nacional não perdure, tendo em vista que em 2018 o país passará por processo eleitoral. Entre as premissas básicas, o movimento pretende encampar a luta contra o fim do fórum privilegiado e a reforma previdenciária, bem como em defesa do princípio da confiança do direito constitucional.

O presidente da CNPL, Carlos Alberto Schmitt de Azevedo, ressaltou que o Movimento Basta já nasceu vitorioso por possuir cunho solidário e critério pelo bem coletivo nacional. “O momento requer união, força e luta de todos para escrever uma nova história na política do Brasil em defesa da proteção social, que é o que todos buscam neste momento de evidente caos no Poder Legislativo. A CNPL reitera, mais uma vez, seu compromisso com os profissionais liberais e se ratifica a unidade do Movimento”, reiterou.

De acordo com o presidente da Confederação Nacional das Carreiras Típicas de Estado (Conacate), Antônio Carlos Fernandes Jr. O momento requer uma ação forte para dar um basta nas atrocidades estabelecidas pelo governo. “A sociedade está sem norte e caminha indignada para o cenário eleitoral em 2018. O Movimento Basta é uma resposta política que a sociedade precisa e merece”, afirmou.

Na próxima semana será concluída a minuta da “Carta Compromisso” para encaminhamento e adesão das entidades até o dia 31 de outubro. O lançamento oficial do Movimento Basta está previsto para o dia 06 de novembro, com apresentação do cronograma de trabalho em âmbito nacional.

http://www.cnpl.org.br/new/index.php/81-destaque/1450-dirigentes-sindicais-do-servico-publico-e-da-iniciativa-privada-criam-movimento-basta-para-combater-corrupcao-e-desigualdade

Perda dos aposentados será de 84,77% em 2016

Perda dos aposentados será de 84,77% em 2016

Entre situações humilhantes, os aposentados brasileiros acumulam uma perda em seus vencimentos que chega à espantosa cifra de 84,77% desde 1994. Não há qualquer plano do governo para reverter esse quadro. Ao contrário, o Ministério da Fazenda planeja mais arrocho com os aposentados. Leia a matéria sobre as perdas dos aposentados no link abaixo:

Estudos da Confederação Brasileira de Aposentados (Cobap) mostram as perdas da categoria desde 1994. Em meio a verdadeiro turbilhão que se transformou a previdência social nos últimos dias, e prevendo mais cortes no setor, os aposentados estão preocupados em garantir o pagamento de seus benefícios e também com a crescente perda.
Os estudos encomendados pela Cobap mostram que os aposentados e pensionistas do INSS, que, mais uma vez, não terão aumento real em 2016, vão acumular perdas de 84,77% nos benefícios acima do salário mínimo

Fonte: Perda dos aposentados será de 84,77% em 2016

Fonte: Telegrama Sindical: Sindicato Expresso: Perda dos aposentados será de 84,77% em 2016