Arquivos de tags: Dilma

Telegrama Sindical: Sindicato Nacional dos Aposentados e Pensionistas e OAB criticam antecipação parcelada

Sindicato Nacional dos Aposentados e Pensionistas e OAB criticam antecipação parcelada

O principal sindicato representativo dos aposentados e pensionistas do Brasil e a OAB deixaram bem clara sua firme oposição ao parcelamento do décimo terceiro dos aposentados proposta pelo governo da presidente Dilma do PT. Leia no link as manifestações dessas entidades classistas contra o parcelamento do décimo terceiro ->Sindicato e OAB criticam antecipação parcelada – Tribuna do Norte

A proposta nem foi anunciada oficialmente e já provocou reações negativas. O presidente do  Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos da Força Sindical (Sindnapi), Carlos Ortiz,  afirmou que o sindicato é contra o parcelamento proposto pela equipe econômica. “Somos contra, porque, na verdade, a antecipação já é a metade [do valor do 13º]. O benefício do aposentado e pensionista não é crediário. O aposentado conta com esse dinheiro”, disse ele. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) também criticou a medida.

Telegrama Sindical: Sindicato Nacional dos Aposentados e Pensionistas e OAB criticam antecipação parcelada.

#CRISEnoSUS – Greves de médicos retratam incapacidade do sistema em construir uma política de RH consistente

#CRISEnoSUS – Greves de médicos retratam incapacidade do sistema em construir uma política de RH consistente

O SUS tem como um de seus pontos fracos a falta de um plano de carreiras, cargos e vencimentos que seja adequado para atrair e fixar médicos no sistema. Junte-se a isso a existência de condições de trabalho deploráveis e a contratação precária, por meio de terceirizações e contratos temporários. Não souberam fazer do sistema um lugar hospitaleiro para o trabalho médico. Essas tensões trabalhistas têm gerado greves, pedidos de demissão, rotatividade de mão de obra e outros pontos negativos que comprometem frequentemente a regularidade e normalidade dos serviços públicos de saúde. Há também casos de comportamento desrespeitoso de gestores e autoridades em relação ao trabalho médico, incluindo prática de assédio moral sob várias formas, atrasos e parcelamentos de pagamento, salários pífios. 

As entidades representativas da classe médica propuseram a carreira de estado para médico. O Congresso aprovou, mas a presidente Dilma vetou. Ao que tudo indica agindo por orientação do então ministro da Saúde, Alexandre Padilha. 

G1 – Prefeitura diz que não dará reajuste e greve dos médicos continua em MS – notícias em Mato Grosso do Sul

Greve
Médicos da Remus voltaram a entrar em greve desde a noite do último sábado (15). Segundo o Sinmed, 30% dos profissionais estão atendendo nas unidades de saúde.
Na época, a Sesau informou, por meio da assessoria de imprensa, que não iria se pronunciar sobre o início da paralisação. De acordo com o sindicato, o principal motivo é o não reajuste anual. A categoria reclama dos constantes descumprimentos de prazos estabelecidos em acordo firmado anteriormente entre sindicato e prefeitura.
Na quarta-feira (19), os salários atrasados da categoria foram pagos. A prefeitura esperava que os médicos voltassem ao trabalho na quinta-feira (20), mas a paralisação foi mantida.

Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS – Greves de médicos retratam incapacidade do sistema em construir uma política de RH consistente.

Telegrama Sindical: Mais médicos: a realidade sonegada pela propaganda oficial. E o SUS continua em crise.

Mais médicos: a realidade sonegada pela propaganda oficial. E o SUS continua em crise.

O programa “Mais Médicos”, na verdade uma bolsa temporária oferecida a título precário, ganhou musculatura no início pela importação de intercambistas cubanos. Esses profissionais foram dispensados de revalidar seus diplomas para exercerem a Medicina no Brasil. Além dessa medida de exceção, foram feitas denúncias consistentes de que esses profissionais são terceirizados por uma empresa estatal cubana e eles recebem bem menos do que os profissionais brasileiros e de outras nacionalidades. A diferença salarial é simplesmente embolsada pelo regime cubano, conhecido por ser uma ditadura onde se desrespeitam direitos humanos de forma sistemática. O procurador geral do Trabalho declarou que as condições de trabalho deles são “análogas à escravidão”. Existe uma distância enorme entre a cara propaganda oficial sobre o “Mais Médicos” e a realidade do programa. 

http://www.jornaldamidia.com.br/noticias/2015/08/22/Blog_do_JM/Governo-Dilma-conta-mentira-sobre-o-Mais-Medicos.shtml

Governo Dilma conta mentira sobre o ‘Mais Médicos’

Segundo a propaganda oficial, em dois anos programa já beneficiou mais de 63 milhões de brasileiros, que corresponde a 9.375 pacientes atendidos diariamente por cada médico
Em troca de milhares de médicos, a ditadura cubana já faturou mais de R$ 4,3 bilhões com o programa

Em troca de milhares de médicos, a ditadura cubana já faturou mais de R$ 4,3 bilhões com o programa

Telegrama Sindical: Mais médicos: a realidade sonegada pela propaganda oficial. E o SUS continua em crise..

Prefeitos vão protestar contra falta de recursos para financiar os governos municipais e suas obrigações

Prefeitos também vão fazer protestos contra o que chamam de “arrocho do governo federal contra os municípios”. O detalhe é a adesão de vários prefeitos petistas ao movimento. A matéria completa está em ->
http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/08/1664366-contra-arrocho-de-dilma-prefeitos-da-oposicao-e-ate-do-pt-farao-protestos.shtml

Situação de crise que atinge prefeituras brasileiras afeta seriamente o SUS. Prefeitos planejam protesto.

Situação de crise que atinge prefeituras brasileiras afeta seriamente o SUS. Prefeitos planejam protesto.

Sindicato Expresso: Será que a saúde pública no Brasil sofreu uma melhoria significativa. Você percebeu isso?

Sindicato Expresso: Será que a saúde pública no Brasil sofreu uma melhoria significativa. Você percebeu isso?.

Um
fato que não parece óbvio para o senso comum da maioria das
pessoas, entra na retórica da propaganda oficial como se fosse a
salvação de uma situação que todos percebem como crítica. Quais
as razões que o povo sabe e os sábios financiados com dinheiro dos
impostos das pessoas fingem desconhecer?







Dilma
diz que o programa “Mais Médicos” é a revolução feita na
saúde pública do país. Mas os fatos são diversos do que aqueles
citados no discurso oficial. Os médicos que ainda se aventuram no
serviço público suportam salários vis, condições de trabalho
deterioradas, contratos de trabalho precário e assédio moral. Uma
simples confrontação entre os links abaixo diz que Sua Excelência
está sendo enganada pela burocracia do Ministério da Saúde quando
fala sobre o assunto. Vampiros e sanguessugas assombram o sonho
presidencial de uma saúde pública decadente, mas que é vendida
como revolucionária nos termos da retórica da burocracia. 




Dilma diz que Mais Médicos é revolução feita
na saúde pública do País

http://noticias.r7.com/brasil/dilma-diz-que-mais-medicos-e-revolucao-feita-na-saude-publica-do-pais-04082015




De fevereiro a julho de 2015, 356 médicos
deixaram de atender em MS

Prefeitura abre seleções, não preenche vagas e
perde médicos







Dilma diz que Mais Médicos é revolução feita na saúde pública do País – Notícias – R7 Brasil

#CRISEnoSUS Médicos reagem ao descaso do governo Dilma com a saúde pública.

***** FAX SINDICAL   30 / 04 / 2 0 1 4   *****

_____________________________

***** .’.   Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora e da Zona da Mata .’. *****

…………………………………….

……………………………………………………………………….

*** Unido na luta em defesa do trabalho decente e do reconhecimento do mérito, para uma saúde de qualidade para todos os brasileiros ***

Juiz de Fora, 30 DE ABRIL DE 2014  

 

Leia aqui: (1) Lembrete: Aviso Sindical sobre a Assembleia Geral do próximo 7 de Maio dos Médicos da PJF. (2) A Caixa Preta da Saúde. Dos que desaprovam o governo Dilma, a maioria atribui isso ao fracasso do governo na área da Saúde. É o que informa o Datafolha. (3) Horas da Vida – um projeto interessante para ajudar pessoas mais carentes sem ingerência do governo ou do SUS.

 

AVISO SINDICAL IMPORTANTE – A TODOS OS MÉDICOS QUE TRABALHAM NO SUS, NA PREFEITURA DE JUIZ DE FORA, RELEMBRAMOS DA NOSSA ASSEMBLEIA GERAL. A HORA DE LUTAR É AGORA. NÃO VAMOS DESANIMAR, ISSO É O QUE ELES QUEREM, QUE PERCAMOS A VONTADE DE LUTAR. VAMOS RESPONDER COM NOSSA MOBILIZAÇÃO. NÃO HÁ VITÓRIA SEM LUTA. VAMOS TODOS COMPARECER À ASSEMBLEIA.

 

 

ASSEMBLEIA GERAL DOS MÉDICOS MUNICIPAIS

Atenção médicos da Prefeitura de Juiz de Fora – Aviso Sindical Urgente!

FAVOR DIVULGAR, CONVIDAR COLEGAS E REPERCUTIR.

 

ASSEMBLEIA GERAL DOS MÉDICOS MUNICIPAIS – PREFEITURA DE JUIZ DE FORA

DIA – 07 DE MAIO DE 2014 – QUARTA-FEIRA

HORÁRIO – 19:30 HS (Dezenove horas e trinta minutos)

LOCAL – Sociedade de Medicina e Cirurgia de Juiz de Fora – Rua Braz Bernardino, 59 – Centro – Juiz de Fora – MG.

 

PAUTA: CAMPANHA SALARIAL 2014

SALÁRIO, CARGO, CARREIRA, PCCS, CONDIÇÕES DE TRABALHO E DE ATENDIMENTO

 

 

 

A CAIXA PRETA DA SAÚDE

 

 

Pesquisas apontam que Um em cada quatro brasileiros (25%) desaprova o governo Dilma Rousseff, e as justificativas mais apontadas para isso recaem sobre a área da saúde, mencionada por 31% deste grupo. Em seguida aparecem motivos ligados ao desempenho da presidente na área da educação (19%); ao desempenho na área econômica (15%); à corrupção e desonestidade no governo (12%); ao desempenho na área de segurança pública (10%); ao modo de governar (8%); aos investimentos na Copa do Mundo (6%), à aversão ao partido de Dilma (5%), e à aplicação ou existência dos programas sociais (5%), entre outros motivos menos citados espontaneamente. Há ainda 2% que não opinaram sobre a avaliação.”

A matéria sobre a pesquisa pode ser conferida nesse link: http://datafolha.folha.uol.com.br/opiniaopublica/2014/04/1444826-desempenho-da-saude-e-razao-mais-citada-por-descontentes-com-dilma.shtml

 

Com isso podemos notar que a jogada eleitoral do programa “Mais Médicos” não teve a repercussão desejada no meio do povo, que pediu e ainda espera “hospitais padrão FIFA”. As pessoas percebem que o problema da saúde não se resume apenas à questão médica, que levou o governo a um confronto insano e radical contra toda a categoria profissional.

 

Existe, na área da saúde, corrupção, má gestão, descaso, sucateamento, falta de pessoal especializado e devidamente qualificado, falta de materiais e instrumentos. Todo mundo que atua no setor público de saúde toma contato com essa realidade revoltante e desestimuladora. Partindo dessa realidade negativa de crise permanente do SUS, a Associação Médica Brasileira decidiu criar um site de denúncias sobre as distorções e carências que as pessoas encontram no sistema público de saúde. Conheça as denúncias e envie a sua.

 

Fauma visita ao site da Caixa Preta da Sae. Ele est�em http://www.caixapretadasaude.org.br

 

 

 

HORAS DA VIDA – VOCÊ CONHECE ESSA IDEIA?

 

 

Trata-se de um projeto de atendimento a pessoas carentes, voluntário, benemérito e sem qualquer vinculação com esse governo que aí está.

 

Como funciona?

Quem recebe as horas

 

Pacientes previamente cadastrados no Programa Horas da Vida, por meio das Instituições e Fundações parceiras: APAE de São Paulo, Fundação Bachiana, Grupo Cultural AfroReggae e Unibes.

 

Quem doa as horas

 

Médicos e profissionais da saúde que tenham o interesse em se cadastrar no programa definirão a quantidade de horas e a freqüência em que poderão atender. Não há um critério definido: pode ser disponibilizada 1 hora por semana, 1 hora por mês ou a quantidade que cada profissional julgar ideal de acordo com a sua disponibilidade. A escolha é pessoal e voluntária. O importante é saber que essa 1 hora pode mudar a vida de muita gente.

 

O propósito do Programa Horas da Vida é proporcionar um atendimento humanizado e resolutivo a pacientes de baixa renda.

 

O objetivo inicial do Programa não é o de realizar tratamentos ou acompanhamentos, mas proporcionar a melhor orientação possível no momento da consulta.

Página do Instituto Horas da Vida:

 

http://consultaclick.com.br/horasdavida/Home.aspx

GOVERNO MUDA REGRA DE SUPERAVIT EM NOME DE ARGUMENTOS ELEITORAIS PARA DILMA

Credibilidade do Brasil é colocada em risco diante da nova orientação do governo federal. Tudo pelas eleições. Em nome da reeleição da presidente, valores e estabilidade econômica estão sendo descartados. Tudo o que importa é dar ao governo estatísticas e argumentos para desinformar os eleitores e levá-los a preferir Dilma a qualquer outra opção. Leia no link a matéria abaixo:

Mudança de regra de superávit pode sepultar (de vez) credibilidade do país – Economia – Notícia – VEJA.com

“No fim das contas, trata-se de uma questão de quem responsabilizar: sem a regra, a culpa do não cumprimento recai sobre estados e municípios. Se a regra se mantém, o culpado do fracasso é do governo. Assim, de uma forma ou de outra, está claro que a meta não será cumprida. Para o economista Raul Velloso, especialista em contas públicas, a tentativa de mudança ocorre no pior momento. “Eles vão tentar aprovar isso na hora errada, quando a credibilidade está em xeque. Fica parecendo que o governo esqueceu-se que tinha de arcar com estados e municípios e, do dia para a noite, se lembrou”, afirma.

Velloso explica que a dificuldade que os estados e municípios encontram para cumprir a meta é causada, justamente, pelo governo. “Eles autorizaram que novas dívidas fossem contraídas por cidades e governos estaduais, sem pensar que isso impactaria no resultado fiscal de todos eles. Agora, depois de viabilizar o endividamento, muda as regras do jogo. A União sabia todo esse tempo qual era capacidade de estados e municípios de cumprir a meta”

Assembléia médica em Juiz de Fora – união para lutar e vencer

Fax Sindical 28 de outubro de 2013

Aviso Sindical Importante.

Amanhã, 29/10, terça-feira, 19 horas e 30 minutos, na Sociedade de Medicina, irá se realizar mais uma Assembléia Geral dos Médicos de Juiz de Fora.

Na pauta:
(1) Relato da comissão que elabora o plano de cargos, carreira e salários específico dos médicos da Prefeitura de Juiz de Fora.
(2) Relato do Jurídico do Sindicato – mandato de segurança.
A Secretaria Municipal de Saúde expediu determinação para que médicos estaduais e federais sejam excluídos da flexibilização de carga horária instituída por lei municipal. Médicos estaduais e federais estão sob gestão do município e não podem ser discriminados por uma política de recursos humanos que desconheça o princípio da isonomia em suas relações trabalhistas.

A mentalidade “mais médicos”, centrada no trabalho médico precário e em condições deficientes e em centrar nos profissionais de saúde a culpa por má gestão, financiamento deficiente e corrupção é rechaçada pelos médicos de Juiz de Fora e pelas pessoas esclarecidas.

A mobilização e unidade entre os profissionais é, mais do que nunca, necessária para a luta contra os inimigos da Medicina e da classe médica, que são encabeçados pelo próprio Ministério da Saúde. Sob inspiração dessa instância governamental a presidente da República veta sistematicamente qualquer melhoramento ou reivindicação da classe médica e expande a precariedade do trabalho médico no serviço público, criando um clima de confronto com toda a classe médica.

Esses eventos são muito claros e sinalizam que a hora é de união. As diferenças devem ser minimizadas e a união valorizada acima de tudo. Conselhos Federal e regionais, associações médicas nacionais, regionais, estaduais e locais, federações e sindicatos, cooperativas médicas de trabalho, crédito e consumo, médicos parlamentares, secretários, prefeitos e dirigentes políticos, todos devem se unir nessa luta junto com a esmagadora maioria dos 400 mil médicos brasileiros. A união faz a força e é a hora da união. Os chapa-branca e os apaniguados do Padilha devem ser vistos com desconfiança

Drible político à carreira médica nacional e o possível “discurso engana-pobre” – Artigos – Jus Navigandi

Acredito que toda medida governamental com espetacularidade numérica e com tratamento simplista de tema complexo atrelado à vida humana, desvinculada de aparato administrativo e organizacional que dê suporte à escolha e sem planejamento público eficiente e duradouro, nada mais é que falácia política, estratégia partidária ou eleitoreira. http://jus.com.br/artigos/25498/drible-politico-a-carreira-medica-nacional-e-o-possivel-discurso-engana-pobre

Sindicato Expresso: Eleições à vista: Senado aprovou projeto do governo para a saúde.

iante da necessidade eleitoral do governo, o Senado aprovou a MedidaProvisória que institui a bolsa de três anos chamada “Mais Médicos”.

Cortina de fumaça para os graves problemas do SUS, a medida inclui regras de exceção, como a que dá poder discricionário ao Ministério da Saúde para conceder registro profissional de médicos não certificados por exames específicos. A falta de uma carreira de estado para médicos foi questionada no plenário da casa.

A opinião pública ainda não foi informada de quantos milhões de reais o governo gastou na propaganda desse projeto.

Leia a notícia:

BRASÍLIA – O plenário do Senado aprovou na noite desta quarta-feira, 16, em votação simbólica, a Medida Provisória que trata do programa Mais Médicos, uma das vitrines eleitorais da campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff. A proposta prevê a importação de profissionais de outros países para atuar em áreas onde os médicos brasileiros não queiram trabalhar sem a necessidade de validação do diploma no Brasil. A matéria seguirá para sanção presidencial.

A proposta também torna obrigatória a residência de dois anos em Medicina Geral de Família e Comunidade para 70% das especialidades médicas. A matéria determina ainda que, na graduação, 30% da carga horária do internato médico sejam feita na atenção básica e serviços de urgência e emergência do SUS.

Parlamentares da base aliada e da oposição se manifestaram a favor do programa. O presidente do Democratas, senador Agripino Maia (RN), anunciou que votaria a favor da MP, mas criticou aqueles que tentam vender a ideia segundo a qual o programa seria a “solução dos problemas da saúde no Brasil”.

Agripino apresentou uma emenda em plenário, em parceria com o líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (SP), para devolver aos conselhos regionais de medicina (CRMs) o poder para conceder os registros provisórios dos profissionais do programa. Essa alteração, que permitiu o Ministério da Saúde fazer o registro, foi incluída quando a proposta passou pela Câmara na semana passada. Para o tucano, essa mudança é “flagrantemente ilegal”. “É como se o registro profissional do advogado, em vez de conferido pela OAB, fosse concedido pelo Ministério da Justiça”, comparou. A emenda, contudo, também foi derrubada.

O líder do PSDB classificou o programa de “slogan eleitoral”. “É uma medida eleitoreira, que se apresenta como a galinha dos ovos de ouro para se eleger a presidente Dilma Rousseff”, criticou. O senador tucano Cássio Cunha Lima (PB) chamou o Mais Médicos de “mais engenhoso e sofisticado programa de manipulação política pelo governo”. O senador Aécio Neves, pré-candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, não se pronunciou durante os debates.

O ex-ministro da Saúde e senador Humberto Costa (PT-PE) rebateu as críticas ao Mais Médicos. Segundo o petista, a proposta tem um “bom planejamento” porque prevê medidas de curto, médio e longo prazo para resolver a carência e a má distribuição de médicos no país. Além da importação dos profissionais de outros países, ele disse que a MP também prevê iniciativas para estimular a abertura de novos cursos de medicina e para o aumento de vagas nas escolas já existentes.

Humberto Costa afirmou que as mudanças na formação dos médicos vão formar profissionais com “outra mentalidade” e “outra cabeça”. Ele disse que a desobrigação dos médicos importados de validarem seus diplomas no país, por meio da prova do Revalida, tem por objetivo impedir que eles tenham liberdade para buscarem emprego em qualquer lugar do Brasil.

O senador Randolfe Rodrigues (Psol-AP) criticou o discurso xenófobo contra os médicos importados, mas ressalvou que o programa é o “primeiro passo” para tentar melhor a assistência de saúde no país. Segundo ele, é preciso aprovar com urgência uma proposta que institui a carreira de médico como típica de Estado
http://m.estadao.com.br/noticias/vidae,senado-aprova-mp-do-mais-medicos,1086520,0.htm
http://sindicatoexpresso.blogspot.com.br/2013/10/eleicoes-vista-senado-aprovou-projeto.html