Arquivos de tags: eleições de Juiz de Fora

Telegrama Sindical 226

[Telegrama Sindical 226 07.02.10 15 hs.]
=============================
Telegrama Sindical 226
=============================
Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora
———————————————-
Ano V N°.226 * 07 de fevereiro de 2010
==================================Juiz de Fora: Sindicatos contra a derrama do IPTU. Afundação H.U. e a privataria do S.U.S. Prefeitura recebe do SUS e dá calote em Médicos

IPTU – Sindicato dos Médicos apoia movimento que exige transparência por parte da Administração do Sr. Custódio de Matos.
——————————–

Juntamente com dez entidades de classe, três partidos políticos, seis vereadores, o Sindicato dos Médicos apoiou o movimento que pede que a Prefeitura dê as devidas explicações à opinião pública sobre o espantoso aumento do IPTU e da taxa de lixo imposta ao povo de Juiz de Fora.

O povo de Juiz de Fora não é tolo e não tem obrigação de acreditar no discurso da Secretária da Fazenda. A convicção subjetiva da maioria das pessoas esclarecidas dessa cidade é que as declarações da Sra. Secretária não foram convincentes, para dizer o mínimo.

O assunto já foi encaminhado, sob a forma de representação, ao Ministério Público. É mais um passo de uma luta que não deve terminar tão cedo. O Fórum Intersindical dos Servidores Públicos da Prefeitura realizou novo ato público contra o aumento.

Infelizmente nenhum dos vereadores médicos colocou a sua assinatura do documento.

O Sr. Manoel Barbosa Leite Neto, Secretário de Governo do Custódio de Matos, enviou ofício ao Sindicato dos Médicos solicitando que, em nome da administração municipal – leia-se CUstódio – que sejam fornecidos os dados que subsidiaram a nota pública dos sindicatos contra o aumento do IPTU, publicada nos jornais de 17 de janeiro.

Respondemos publicamente: Sr. Manoel Barbosa, o nosso Sindicato não lhe deve nenhuma explicação. Quem deve explicações à cidade, ao Ministério Público, aos Sindicatos de Juiz de Fora é Vossa Senhoria e esse desgoverno do qual o senhor participa.

________________________________
AFUNDAÇÃO H.U. e a privataria do SUS.

Fundação HU, intermediadora de mão de obra, causa descontentamento na classe médica.

——————————–

A privatização das policlínicas de Santa Luzia e São Pedro, UPAs adaptadas, começa a mostrar problemas. O processo de seleção pública feito pela fundação HU causou descontentamento entre os médicos que se inscreveram no processo seletivo. A fundação HU manterá o funcionamento da Policlínica de São Pedro com dinheiro público que lhe será entregue pela Prefeitura. A fundação HU pagará ao médico plantonista, com dinheiro da Prefeitura, mais que um médico da Prefeitura ganha após vinte anos de serviço público. Isso representa um atrativo para médicos jovens, que estão ingressando ou ingressaram há pouco no mercado de trabalho, em que pese ser um emprego precário e transitório.

A fundação HU é uma fundação de direito privado cuja principal finalidade parece ser a terceirização de mão-de-obra. O chamado gato. O termo gato significa o indivíduo que, por gordas comissões, recruta bóias-frias para trabalharem temporariamente em serviços rurais, como capina e preparação de terrenos para plantio. A fundação HU cria um grupo de bóias-frias da saúde pública.

O Ministro José Gomes Temporão é apaniguado político do governador Sérgio Cabral, do Rio de Janeiro. O Rio de Janeiro é uma cabeça de ponte da privataria dos serviços públicos de saúde. Embora seja ministro do Governo Lula, Temporão não esconde sua simpatia pelos tucanos. Ele veio a Juiz de Fora e participou da festança de inauguração da nova mansão do Prefeito Custódio de Matos. Enquanto a mansão era inaugurada o povo de Juiz de Fora lamentava e se indignava com o recebimento dos carnês do IPTU. Por uma cidade que está em péssimo estado de conservação, Custódio está cobrando muito caro para as pessoas viverem aqui.

________________________________

Calote no SUS de Juiz de Fora é uma ameaça à credibilidade dos serviços

——————————–

5 de fevereiro foi o quinto dia útil e a primeira sexta-feira do mês. Muitos médicos que prestam serviços ao SUS ainda não haviam recebido um único centavo dos honorários dos trabalhos feitos no mês de dezembro. Isso em Juiz de Fora. Além de garantir a normalidade e regularidade dos serviços, o gestor municipal tem obrigação de garantir a sua credibilidade e isso significa agir de forma responsável.

Esse dinheiro público, destinado ao pagamento de honorários médicos por serviços prestados ao SUS, é repassado por verba federal, ou seja, é o que se chama de verba carimbada, destinada a remunerar os profissionais pelos serviços já prestados em hospitais, clínicas e casas de saúde que atendem pelo SUS. Normalmente a Prefeitura o recebe antes do décimo dia útil. Não sabemos que estranhos e difíceis caminhos e atalhos percorre essa verba pública que não chega aos seus destinatários.

Como também não sabemos que nome dar a isso. Peculato? Malversação? Ou o quê? O fato é que causa danos aos médicos que trabalharam para o SUS e diminui a credibilidade do Sistema.

Aguardamos uma intervenção do Ministério da Saúde, por meio de sua auditoria, ou do Ministério Público, para que o gestor municipal da saúde de Juiz de Fora trabalhe dentro de prazos honrados e respeitáveis.

________________________________

Agenda Sindical.

——————————–

Realizou-se no dia 3 uma reunião, no Ministério do Trabalho, na qual ficou acertada entre o Sindicato dos Médicos e a Associação dos Hospitais a manutenção do acordo coletivo entre as partes.

No próximo dia 11, vai se realizar na Prefeitura mais uma reunião entre o Sindicato dos Médcos, o SINSERPU e a Prefeitura para discutir a questão da gratificação de urgência e emergência. Há muita apreensão na classa médica quanto a isso. O Sindicato ainda aguarda a reunião que vai tratar do PCCS dos médicos da Prefeitura. O assunto foi acertado em julho passado e, até hoje, nenhum passo concreto foi dado pelos governantes municipais.

O Sindicato também está preparando a campanha salarial de 2010 na Prefeitura e acompanhando ações judiciais já propostas pela representação classista.

Posted by Wordmobi

FAX SINDICAL 179

SINDICATO DOS MÉDICOS DE JUIZ DE FORA
=============================
______________ FAX SINDICAL_______________
=============================
NÚMERO 179 * ANO IV * 13/AGOSTO/2009

O Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora esperava que a administração Custódio, com a aceitação da contraproposta formulada pela representação classista oficial dos profissionais da Medina, pusesse fim à tensão nas relações trabalhistas entre Prefeitura e médicos. Por uma razão muito simples: ela empurra para um confronto prejudicial e que sempre terminará sem vencedores. Mas parece que esse não é o entendimento oficial dos atuais hóspedes do poder municipal.

Antes do encerramento das negociações, a administração Custódio já se apressava em cortar os miseráveis salários que paga aos médicos da Prefeitura. Prova de má vontade. Não tendo questionado a legalidade da greve ou discutido a justeza do mérito das reivindicações a administração municipal apelou para cortar salários, uma manobra com claro objetivo de coagir, inibir e dispersar o protesto da classe médica.

O Sindicato não abandonou os doutores penalizados pela Prefeitura. diante da falta de disposição para o diálogo sobre as punições demonstrada pelo Secretário Vítor Valvarde, com respaldo do Custódio, restou a via jurídica. para os médicos da AMAC, protegidos pela legislação trabalhista, foi procurado o Ministério do Trabalho. Uma tentativa última de conciliação.

Em correspondência datada de 12/8, um dia depois do prazo estabelecido por acordo entre o gerente regional do Ministério do Trabalho, o Sindicato dos Médicos e a AMAC/Prefeitura de Juiz de Fora, chegou a carta da AMAC, negando a possibilidade de acordo e confirmando os cortes de pagamento determinados pela Prefeitura, para a Secretaria de Saúde e também AMAC. Na carta a Direção da AMAC, como a administração municipal à qual ela claramente se subordina, defende a idéia absurda de que a decisão não é uma retaliação contra a categoria. Havia naufragado a última tentativa de conciiação. Restou provada a disposição do Prefeito para radicalizar a questão.

Para os médicos estatutários, fora da competência da Justiça Federal, restou o recurso à Justiça do Estado de Minas Gerais. Foi impetrada uma medida chamada Protesto Judicial. Desconhecemos os prazos dessa medida e sua eficácia. De qualquer modo, a questão não está encerrada.

JUIZ DE FORA – ATENÇÃO MÉDICOS DA PREFEITURA!

1- Audiência pública – Assunto de vosso interesse: no próximo dia 19 de agosto, a partir das 15 horas, na Câmara Municipal, vai ser realizada uma audiência pública sobre a questão da discriminação salarial que a Prefeitura de Juiz de Fora pratica contra os médicos, fazendo descaso da carga horária especial da categoria e transformando uma conquista dos profissionais em penalidade (redução de uma quarte parte do salário, quando comparado às demais categorias de nível superior). A audiência foi pedida pelo Dr. José Tarcísio, do PTC, médico e vereador, na época das paralisações que os médicos realizavam contra seus baixos salários e deterioração das condições de atendimento. Agora (agosto) a Câmara Municipal encontrou tempo de discuti-la. A presença de profissionais e representantes de entidades médicas nesse evento é muito importante.
2- COMISSÃO PCCS – A Diretoria do Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora e Zona da Mata, representante classista legítimo de todos os médicos da Prefeitura de Juiz de Fora, aguarda para essa sexta, 14 de agosto, a publicação de portaria criando a Comissão para elaborar o PCCS dos médicos municipais.

Publicado pelo Wordmobi

Um apoio eleitoral poderá render uma vaga em Tribunal de Contas?

Aliança e recompensa em Pasárgada.

A política mineira apresenta-se cada dia mais com a fisionomia deformada. As práticas anteriormente restritas aos Estados menores da Federação foram adotadas com total despudor. É o que informa matéria do Novojornal (www.novojornal.net) sobre o pós-eleição em Juiz de Fora. Segundo a matéria, que está na página http://www.novojornal.net/politica_noticia.php?codigo_noticia=7802,

Sebastião Helvécio receberia uma vaga no Tribunal de Contas do Estado como recompensa pelo seu empenho eleitoral no final do segundo turno, das eleições municipais, em apoio ao prefeito eleito Custódio Matos. Se o tempo é senhor da razão, os fatos posteriores poderão esclarecer os fatos afirmados, se coisas verídicas ou apenas ilações apressadas.


Abaixo transcrevemos a matéria, que também poderá ser conferida no original clicando no link acima.

03/11/2008, 11:18 – Tribunal de Contas vira moeda de troca

Sebastião Helvécio apresenta conta exigindo sua indicação para conselheiro do TCEMG, excluindo seu colega Mauri Torres

A política mineira apresenta-se cada dia mais com a fisionomia deformada. As práticas anteriormente restritas aos Estados menores da Federação foram adotadas com total despudor.

O malefício moral introduzido é praticado abertamente. O comportamento do governo, há pouco tempo fazia corar até mesmo um simples chefe de torcida de um clube de futebol de várzea.

A naturalidade e desenvoltura na relação levam a crer que, em breve, Minas Gerais deixará de ser conhecido como um estado moralmente conservador para servir como referência das práticas desonestas e perdulárias.

A negociação e o apoio político eleitoral, até então restrito à participação na gestão do Executivo, foi carregado para os demais poderes.

A indicação para cargos que deveriam ser ocupados por pessoas de carreira das próprias instituições ou de seu segmento virou moeda de troca até mesmo eleitoral.

A principal regra que norteia a política mineira é: “O que não vale é perder as eleições”.

Em Juiz de Fora, cidade da Zona da Mata mineira, as eleições estavam praticamente definidas a favor da candidata do PT, quando a negociação entre uma de suas lideranças, o deputado estadual Sebastião Helvécio (PDT), e o Palácio da Liberdade iniciou-se.

Até então anunciada e justificada como uma “aliança” em favor do município, agora pouco mais de 15 dias das eleições do segundo turno, descobre-se que o acordo incluiu apenas o benefício da “liderança”, deputado Sebastião Helvécio. Quanto aos eleitores, quem sabe em outra eleição eles possam ser atendidos…

Na Assembléia Legislativa mineira, o deputado Mauri Torres (PSDB), flagrado no esquema de caixa dois de Marcos Valério ao utilizar recursos públicos para presentear sua então namorada com um apartamento de luxo em um bairro nobre de Belo Horizonte, encontra-se desolado e reclamando do abandono a ele conferido pelo Palácio da Liberdade.

Anteriormente seria ele, o Don Juan de Viçosa, o indicado para o cargo de Conselheiro do Tribunal de Contas. Não por outro motivo que o Tribunal de Contas de Minas se encontra hoje com seus principais conselheiros envolvidos no maior esquema de corrupção do Estado.

Agora que as investigações serão retomadas pela Polícia Federal (PF), após reconhecimento da legalidade das provas colhidas na Operação Pasárgada, é bem possível que novos cargos sejam abertos no Tribunal de Contas mineiro e que todos os pretendentes sejam atendidos.

Juiz de Fora, até então conhecida nacionalmente por seus famosos e importantes bailes de travestis e como a terra do exótico ex-senador, Presidente da República e governador de Minas, Itamar Franco, agora poderá ser denominada como Pasárgada.

Technorati : , , , , , , , , ,
Zooomr : , , , , , , , , ,