Arquivos de tags: Espírito Santo

#CRISEnoSUS – Vitória – ES – SUS não paga médicos e maternidade fecha as portas

#CRISEnoSUS – Vitória – ES – SUS não paga médicos e maternidade fecha as portas

 

A falta de respeito ao trabalho médico no Brasil contemporâneo ganha várias formas. Infelizmente, uma dessas formas tem sido o pagamento vil ou o simples não pagamento de honorários por serviços já prestados. O SUS não tem uma política de recursos humanos. Em resposta o descontentamento é continuado e paralisações acontecem frequentemente em todo o país. Aqui está a situação se repetindo em Vitória, ES. Uma maternidade deixa de atender. Médicos sem receber desde abril.



A matéria está no link ->Médicos da Pró-Matre cruzam os braços e maternidade fecha as portas em Vitória | Folha Vitória

Maternidade está de portas fechadas
Foto: TV Vitória
Desde sexta-feira (21), a maternidade Pró-Matre, em Vitória, está de portas fechadas e sem médico para atender. Segundo o diretor da instituição, Helcio Menezes Couto, os médicos optaram por suspender os atendimentos depois de ficarem sem receber desde abril deste ano.
“Estamos há três meses sem receber, mas a culpa não é da Pró-Matre; se o poder público não repassa verba à maternidade, é impossível manter os compromissos em dia”, informou o diretor, que afirmou também que só os casos de internação estão sendo acompanhados.

Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS – Vitória – ES – SUS não paga médicos e maternidade fecha as portas.

Sindicato Expresso: Paralisação dos serviços públicos estaduais do ES – serviço público estadual é vítima de crise.

Os serviços públicos no Brasil não atingiram a uma qualidade razoável. Principalmente os estaduais e municipais, dos quais dependem toda a população brasileira. Nesse momento a crise se agrava. Servidores estaduais e municipais estão vendo atrasos de pagamento, parcelamentos salariais e perdas importantes, porque seus salários não são repostos conforme as perdas inflacionárias crescentes. Em vários estados e municípios o descontentamento generalizado dos servidores públicos estaduais e municipais tem sido materializado em greves e protestos.

Paralisação dos serviços públicos estaduais do ES – serviço público estadual é vítima de crise.

A qualidade dos serviços públicos no Brasil, longe daquela desejada pelos próprios servidores e pela população, está sofrendo processo de desgaste e deterioração. A crise atinge servidores públicos dos estados e dos municípios principalmente. Perdas salariais por falta de recomposição daquilo que a inflação tira, atrasos, parcelamentos são ameaças constantes e estão gerando greves, paralisações e descontentamentos que contribuem para piorar a qualidade dos serviços públicos prometidos pelos governantes e garantidos em tantas leis. Desta vez registramos a paralisação dos servidores públicos estaduais do Espírito Santo. A matéria completa está em -> Sindicatos estimam que 40 mil servidores aderiram à paralisação desta quinta

Desde o final de 2014, após as eleições, os servidores públicos tentam negociar com o governo do Estado direitos fundamentais e básicos como a revisão salarial, conforme a inflação do período, o estabelecimento de uma data base, o reajuste e concessão do auxílio-alimentação a todos os servidores e a implantação de uma mesa permanente de negociação, mas sem sucesso. A sinalização agora é de que nem a reposição da inflação será concedida, o que pode provocar uma greve geral.

Sindicato Expresso: Paralisação dos serviços públicos estaduais do ES – serviço público estadual é vítima de crise..

Sindicato denuncia crise da saúde em Corte internacional

Sindicato Médico do Espírito Santo leva crise na saúde a Corte Internacional. Ausência de medidas sérias e consequentes de autoridades locais pode ter motivado ação. Veja vídeo ilustrativo em https://www.youtube.com/watch?v=lr9DD_SyRE0&feature=youtube_gdata_player

Espírito Santo: Viana – Crise no SUS. Médicos suspendem atividades por falta de condições de trabalho

Crise no SUS do ES – Médicos do Pronto Atendimento Municipal de Viana suspendem atendimento por falta de condições de trabalho. A notícia pode ser conferida em http://www.marataizes.com.br/noticias/news.php?codnot=285260

  • Segundo o Sindicato dos Médicos do estado (Simes), a paralisação foi iniciada e a categoria cobra aumento no quadro de pediatras, 40% de insalubridade e melhores condições de trabalho nas unidades de saúde. O G1 tentou contato com a prefeitura, mas nenhum dos telefones foi atendido.O sindicato orienta que o cidadão que precisar de atendimento médico, em Viana, procure unidades em municípios vizinhos. De acordo com o presidente do Simes, Dr. Otto Baptista, além do PA, os ambulatórios dos bairros também estão sem médicos. As principais alternativas ficam em Cariacica. Para os adultos é o PA de Itacibá e, para as crianças, o proto atendimento de Alto Lage.Baptista informou que a prefeitura já foi comunicada sobre os problemas, mas não deu retorno. “Na unidade de Viana um médico plantonista chega a atender mais de 150 pacientes em 24 horas. Há um descaso com o profissional e com a população. Faltam equipamentos para medir a pressão arterial, material de intubação, raio-x. São três pediatras para sete dias da semana”, reclama.O médico disse que foi feito um boletim de ocorrência na delegacia do município apontando todas as supostas irregularidades que acontecem no pronto atendimento de Viana. Segundo o sindicato, a paralisação continua nesta segunda-feira (2) e não tem prazo para acabar
  • Médicos do SUS no Espírito Santo vão parar contra descaso no sistema público de saúde

    Paralisação acontece nesta terça-feira (24), em todo o Estado.
    Cerca de seis mil médicos devem parar as atividades.

    Mayra Bandeira

    Do G1 ES

    Tweet

    Cerca de 90 mil atendimentos feitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Espírito Santo estarão suspensos nesta terça-feira (25), devido à paralisação dos médicos que atuam junto ao SUS, segundo o Sindicato dos Médicos do ES (Simes). Procedimentos como cirurgias eletivas, consultas e diagnósticos, deixarão de ser feitos por 24h em todo o Estado. Estão garantidos apenas atedimentos de urgência e emergência.
    http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/2011/10/medicos-paralisam-atendimentos-feitos-pelo-sus-por-24h-no-es.html