Arquivos de tags: Fundação Oswaldo Cruz

Planos de carreira e salário digno são fundamentais para outra médicos brasileiros

Não é nova a elaboração de uma proposta de plano de cargos, carreira e salário para os médicos do setor público e do setor privado. Essa proposta deve orientar a luta dos médicos, ao lado da causa do piso salarial nacional. A sua consideração é importante para evitar a dispersão de forças da categoria, a pulverização de reivindicações necessárias, mas desordenadas, e o enfraquecimento da capacidade de mobilização, reivindicação e luta da classe médica.
Veja o vídeo em http://www.youtube.com/watch?v=I7rz7gdYDVE&feature=youtube_gdata_player
Caso não funcione, selecione, copie e cole no seu navegador de InternetFenam já apresentou proposta de plano de carreira para médicos

Prefeitura de Juiz de Fora – Pauta de reivindicações dos médicos do SUS de Juiz de Fora.

Segue abaixo transcrição da pauta de reivindicações do Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora e da Zona da Mata, protocoloca junto ao Poder Executivo Municipal. Existe uma opinião majoritaria entre os médicos de que essa campanha é uma das mais decisivas de toda história das negociações entre Prefeitura e profissionais da Medicina.

Juiz de Fora, 08 de abril de 2009. Ilmo. Sr. Prof. Vitor Valverde. DD. Secretário de Administração e Recursos Humanos. Prefeitura de Juiz de Fora. Ilmo. Sr. O Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora e da Zona da Mata de Minas Gerais, representação classista dos profissionais da Medicina que atuam nos serviços públicos de Saúde mantidos pela Prefeitura de Juiz de Fora, apresenta-se respeitosamente com a finalidade de expor nossas reivindicações como parte da campanha salarial de 2009. Tendo convocado a nossa categoria profissional em Assembléia Geral, construímos democraticamente a nossa pauta, no interesse público maior de contribuir com a principal questão da organização do trabalho médico, importantíssima para os nossos munícipes, visando a manutenção da normalidade e regularidade dos serviços de Saúde. A questão de recursos humanos para os profissionais da Medicina avulta como importantíssima, para a defesa e sobrevivência do sistema público de Saúde. Há que se ter uma política séria e responsável. É sabido que, em Juiz de Fora, os salários dos médicos municipais aviltaram-se a tal ponto de ser o vencimento básico inicial atualmente mais baixo do que o valor definido na Lei Federal 3.999/1961. Tendo se tornado pífios, esses valores de remuneração tornam-se, cada vez mais, incapazes de atrair e fixar médicos no serviço público, estando defasado do ponto de vista do mercado e brutalmente inferiores às carreiras mais bem sucedidas do serviço público. O corolário disso é dar ocasião à falta de motivação, à frustração, às desistências constantes, aos pedidos de demissão e outras intermináveis mazelas disso decorrentes e que afligem todos os médicos que atuam na esfera do SUS. Tendo diante de nós a extrema gravidade da situação e a necessidade de dar conhecimento disso ao Poder Executivo municipal e à opinião pública, movidos pela esperança de ter, em futuro próximo, um tratamento digno para os médicos dentro do serviço público, solicitamos à atual administração municipal a correção de algumas graves injustiças, que contribuem para dificultar o trabalho dos médicos na Prefeitura de Juiz de Fora. Diante do exposto, colocamos as nossas cláusulas. CLÁUSULA ECONÔMICA. 1 – Imediato fim da discriminação salarial praticada contra os médicos da Prefeitura de Juiz de Fora, com a equiparação dos médicos ao nível superior para todos os efeitos e fins, cessando a diferença de 25% que atualmente significa uma penalidade indevidamente imposta pela administração municipal contra a carga horária especial dos médicos definida em Lei Federal (3.999/1961). CLÁUSULAS SOCIAIS. 2 - Imediata regulamentação do exercício da Medicina no SUS em Juiz de Fora. Que cada médico que atua nas unidades de saúde possa se referenciar a uma Direção Clínica e a uma Comissão de Ética Médica, na forma regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina. 3 – Regulamentação do trabalho médico no âmbito do PSF, respeitando-se o parecer do Ministério Público do Trabalho e organizando comissão com participação do Sindicato dos Médicos e das Secretarias de Saúde e de Administração e Recursos Humanos, além da PGM, para se proceder a integração desses profissionais a uma carreira médica, em comum com os demais profissionais da Medicina que cuidam da saúde da população de Juiz de Fora. 4 – Imediata reativação da Comissão que cuida da progressão vertical dos médicos e pagamento dos valores devidos a quem tiver direito a essas progressões, na forma definida na Legislação municipal. 5 – Criação de uma carreira para os médicos que atuam em unidades de urgência e emergência, pronto atendimento e serviços hospitalares, que seja capaz de atrair e fixar os profissionais para essas unidades. Que seja criada imediatamente uma comissão com a finalidade de debater a criação dessa carreira para urgência e emergência. Isso posto, aguardamos resposta da administração municipal, para que possamos submetê-la a nossa categoria profissional reunida em Assembléia permanente. Com protestos de estima e consideração, Atenciosamente. Gilson Salomão Júnior Presidente Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora