Arquivos de tags: má gestão no SUS

Planos de carreira e salário digno são fundamentais para outra médicos brasileiros

Não é nova a elaboração de uma proposta de plano de cargos, carreira e salário para os médicos do setor público e do setor privado. Essa proposta deve orientar a luta dos médicos, ao lado da causa do piso salarial nacional. A sua consideração é importante para evitar a dispersão de forças da categoria, a pulverização de reivindicações necessárias, mas desordenadas, e o enfraquecimento da capacidade de mobilização, reivindicação e luta da classe médica.
Veja o vídeo em http://www.youtube.com/watch?v=I7rz7gdYDVE&feature=youtube_gdata_player
Caso não funcione, selecione, copie e cole no seu navegador de InternetFenam já apresentou proposta de plano de carreira para médicos

SINDICATO EXPRESSO: MÉDICOS DO MT PARALISAM ATIVIDADES POR FALTA DE SALÁRIO.

Mais um retrato de um SUS em crise.

A falta de uma política séria de recursos humanos, que dê trabalho decente aos médicos, com cargos, carreira e remuneração decentes e condições adequadas de atendimento ao público vem refletindo em inúmeros conflitos que se espalham pelo Brasil. Cada vez mais a categoria reage à repressão orquestrada para diminuí-la. Agora é a vez dos médicos de Vargem Grande mostrarem, mais uma vez, a cara nessa luta que varre o Brasil. Respondem à omissão do empregador público de seu dever mais sério: o da remuneração do trabalhador. Leia no link abaixo a notícia completa.

VG: Médicos decidem amanhã sobre greve

Os médicos do município de Várzea Grande podem decidir nesta quarta (11) se entram ou não em greve. Os 300 profissionais contratados pela extinta Fundação de Saúde de Várzea Grande (Fusvag), foram desligados do órgão com a mudança da gestão para a Secretaria Municipal de Saúde, mas têm a promessa de serem recontratados pela Prefeitura e de receber os cinco meses de salário atrasado.

O Sindicato dos Médicos (Sindimed) se diz preocupado com a possibilidade de não pagamento dos salários. Num acordo fechado na semana passada entre as partes, a Prefeitura se comprometeu a quitar os pagamentos assim que começar a receber os repasses de R$ 2,4 milhões a ser feito pela Secretaria de Estado de Saúde  (SES), o que não tem data prevista para acontecer.

A assembléia será na frente do Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande, às 19 horas.

Neusa Baptista – Da Redação
Foto: Mary Juruna