Arquivos de tags: Ministério Público de Minas Gerais

FAX SINDICAL 906

________________________________________________________________________________

DATA: 20 DE JUNHO DE 2011
DE: SINDICATO DOS MÉDICOS DE JUIZ DE FORA E ZONA DA MATA MG

Assunto: SEM ACORDO NÃO HÁ BIOMETRIA

Lembramos a todos os médicos municipais e municipalizados da prefeitura de Juiz de Fora que, por decisão de Assembléia, deve ser boicotado o ponto biométrico enquanto não for feito acordo entre as partes. Diante da declaração da ilegalidade da greve, outra alternativa não há senão a de seguir a luta por todos os meios até que os médicos da prefeitura tenham um tratamento digno por parte do empregador.

________________________________________________________________________________

A LUTA VAI CONTINUAR

Vamos participar e mobilizar todos os médicos que trabalham na Prefeitura de Juiz de Fora para a Assembléia Geral do dia 21 de junho, TERÇA-feira próxima, às 19 horas e 30 minutos, na Sociedade de Medicina. A mobilização e assembléia cheia são as melhores respostas agora.

1 – O Dr. João Fernando Lourenço, assessor jurídico do Sindicato dos
Médicos de Juiz de Fora e Zona da Mata seguiu para Belo Horizonte para apresentar recurso contra a decisão que jogou na ilegalidade a greve dos médicos por melhores salários e trabalho decente.

Enfrentará o Dr. João Fernando uma missão muito difícil. Levará o recurso por ele elaborado, com mais de 800 páginas, onde fundamenta os seus argumentos e reúne sólida documentação. A despeito dos direitos sociais garantidos na Constituição e da Lei de Greve, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais não tem reconhecido o direito de greve aos médicos, fundamentando-se habitualmente no viés assistencialista, clientelista e paternalista de que o serviço público prestado por médicos não pode ser interrompido, mesmo quando abatido pela falta de motivação causada pela degradação salarial ou pela deterioração das condições de trabalho, situações que são sabidamente causadoras de iatrogenia e estresse.

2 – Lembramos que “Sem acordo não tem biometria”. Deve ser assinada a folha de ponto e preenchidos os documentos médicos (pedidos de exames, fichas de atendimento, laudos de AIH, APACs, fichas, etc.) como prova do trabalho.

3 – A Câmara Municipal de Juiz de Fora discute projetos de interesse da classe médica. Os projetos foram encaminhados em regime de urgência pelo Prefeito Custódio de Matos, sem que houvesse um fechamento das negociações com os sindicatos interessados. Mais uma evidência de que, por parte da Prefeitura, falta boa vontade nas negociações. Arrogância e prepotência não são bons parceiros em negociações democráticas.

Acompanhe o Fax Sindical em:
https://faxsindical.wordpress.com ou http://sindicatoexpresso.blogspot.com ou pelo Twitter em http://twitter.com/faxsindica

http://sindicatoexpresso.blogspot.com/2011/06/fax-sindical-906-crise-no-sus-em-juiz.html

Prefeitura de Juiz de Fora apresenta máquina para resolver problema da saúde

SINDICATO EXPRESSO ESPECIAL 01.04.2011
_________________________________

Juiz de Fora: O Prefeito, a catraca e o caos na saúde

A saúde pública em Juiz de Fora recebeu um grandioso reforço. Não se sabe se por obra de sesquipedal ignorância ou da leitura de conhecimentos sobre linhas de produção nos tempos de Henri Ford, resolveu-se implantar nas unidades de saúde de Juiz de Fora as catracas eletrônicas. Elas registrarão sistematicamente as entradas e saídas dos funcionários da saúde. Na contramão da história, porque grandes corporações dos setores mais avançados da Economia estão abandonando este tipo de controle, como outrora o progresso econômico aboliu a chibata e o trabalho forçado. Mas na saúde pública de Juiz de Fora triunfa a ignorância da regulação da carga horária pelo velho esquema fordista do relógio de ponto. A delicadeza de lidar com vidas é equiparada a uma linha de produção de autopeças.

A Prefeitura atribui a tosca iniciativa à atuação de um certo promotor de justiça. Mas todos sabemos que promotores de justiça ocupam cargos por concurso público, não receberam um único voto. O poder municipal é exercido pelo Prefeito Custódio, emanado do povo em eleições livres e democráticas. Portanto as catracas são do Custódio e o seu resultado também será.

Em fotos abaixo podemos ver as catracas eletrônicas, a porta superlotada do HPS, pacientes acumulados em cadeiras de corredores sem ventilação e pessoas em uma maca, na porta do único elevador que serve aos cinco andares do edifício. Como se vê, a catraca eletrônica do Custódio não apresentou qualque melhoria no dia da sua triunfal inauguração. O seu futuro (o do prefeito e o da catraca) ainda estão a conferir.

Bombeiros, Polícia, SAMU, ambulâncias e dezenas de usuários na porta do HPS de Juiz de Fora

Bombeiros, Polícia, SAMU, ambulâncias e dezenas de usuários na porta do HPS de Juiz de Fora

A catraca eletrônica do prefeito Custódio, a solução para a saúde pública em crise

A catraca eletrônica do prefeito Custódio, a solução para a saúde pública em crise

Corredor sem ventilação com doentes em cadeiras aguardando procedimentos

Corredor sem ventilação com doentes em cadeiras aguardando procedimentos

O elevador serve cinco andares e pessoa ficam em macas na passagem por falta de espaço

O elevador serve cinco andares e pessoa ficam em macas na passagem por falta de espaço

E o salário!?  salários ruins não entram na agenda das autoridades e dos bacharéis

E o salário!? salários ruins não entram na agenda das autoridades e dos bacharéis

FAX SINDICAL 304