Arquivos de tags: Sorocaba

 #CRISEnoSUS Instituto que terceirizava médicos falsos no SUS pagava salário diferenciado.

#CRISEnoSUS Instituto que terceirizava médicos falsos no SUS pagava salário diferenciado.

Continua repercutindo o escândalo dos falsos médicos no SUS. Por enquanto o escândalo se restringe a cidades do interior de SP, mas avalia-se que pode ser bem pior. Agora descobriu-se que uma das pessoas jurídicas, “sem fins lucrativos”, pagava salário diferenciado aos falsos médicos. Indícios de que as “instituições sem fins lucrativos” sabiam que os médicos eram falsos, tanto é que faziam pagamentos diferenciados.

A matéria pode ser lida em –

G1 – Instituto em SP que empregou falsos médicos sabia de fraude, diz suspeito – notícias em Ribeirão e Franca

Um dos falsos médicos que trabalhou em Franca (SP), Pablo Mussolin, disse em depoimento à polícia em Mairinque
(SP), que o Instituto Ciências da Vida (ICV), responsável pela
contratação dos funcionários do Pronto-Socorro “Dr. Álvaro Azzuz”, tinha
conhecimento do registro ilegal dos profissionais que atuaram no
município entre julho e outubro de 2014. Em nota, o instituto voltou a
negar qualquer participação na fraude e afirmou que é “vítima do
esquema”.

Preso desde julho deste ano, Mussolin também afirmou em seu depoimento
que cursou medicina na Bolívia e que entrou no esquema de contratação do
instituto depois de ser procurado por Bertino Rumarco da Costa, outro
brasileiro sem registro profissional que também foi preso atuando
ilegalmente.

Segundo a delegada Fernanda Ueda, responsável pelas investigações em
Marinque, Mussolin divulgou outras informações que serão apuradas para
confirmar se houve envolvimento do ICV nas fraudes. Segundo o suspeito, o
instituto pagava salários menores para os falsos médicos.

“Constatamos que há uma divergência em relação aos valores [recebidos
pelos médicos]. Alguns médicos regulares recebiam em torno de R$ 1,2
mil, R$ 1,4 mil. Por sua vez, os falsos médicos falavam que recebiam R$
800, R$ 1 mil. Esse valor era um tanto quanto variável, mas sempre menor
que os médicos regulares”, afirma.

Fonte: Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS Instituto que terceirizava médicos falsos no SUS pagava salário diferenciado.

Sindicato Expresso: Falsos médicos terceirizados: Polícia aciona Interpol. O caso pode ser de uma organização criminosa com articulações internacionais.

Falsos médicos terceirizados: Polícia aciona Interpol. O caso pode ser de uma organização criminosa com articulações internacionais.

A atuação dos falsos médicos terceirizados em SUS e instituições de direito privado sugere uma organização criminosa com ligações internacionais. A Polícia Civil de SP acionou a Interpol. Agenciador de falsos médicos foi preso pela polícia de Caratinga MG. Com a precarização do trabalho médico e a omissão do Ministério da Saúde, o trabalho médico no SUS está se transformando em caso de polícia.

 A Polícia Civil informou nesta quarta-feira (5), em entrevista coletiva na delegacia seccional de Sorocaba (SP), que vai pedir ajuda às autoridades internacionais para prender pelo menos dois supostos médicos que atuavam na região com documentos de outros profissionais. A suspeita é que eles tenham fugido para o Paraguai e para a Bolívia. Por esta razão, a delegada, Fernanda Ueda, solicitará apoio para encontrar os foragidos. “Nos vamos formalizar esse pedido para ver como vamos dar cumprimento a essa prisão”, completa.
De manhã, quatro pessoas foram detidas suspeitas de envolvimento na contratação dos “falsos médicos”, durante cumprimento de oito mandados de prisão nos estados de São Paulo e Minas Gerais. Três estavam na região – em Mairinque (SP), São Roque e Araçariguama (SP). São eles o responsável pelo setor financeiro da Innovaa, Davi Bem Gonçalves, e as funcionárias que faziam as escalas de plantão dos falsos médicos, Sandra Regina dos Santos e Laura Vitória de Miranda. O quarto, Bertino Rumarco da Costa, estava em Caratinga (MG).
Segundo a polícia, o homem seria responsável por atrair novos falsos médicos para o grupo. Ele foi preso no Centro Universitário de Caratinga (Unec), enquanto fazia um curso de capacitação para prestar o exame de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos pela Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida). O suspeito foi encaminhado para o presídio de Caratinga e deve ser encaminhado a São Paulo até o fim da semana.

Matéria completa em -> G1 – Polícia internacional será acionada para ajudar a prender falsos médicos – notícias em Sorocaba e Jundiaí

Sindicato Expresso: Falsos médicos terceirizados: Polícia aciona Interpol. O caso pode ser de uma organização criminosa com articulações internacionais..

Sorocaba: Médicos do HC podem suspender greve por novo PCCS e se não houver repressão

Médicos do HC desistem de reajuste e greve pode terminar nesta terça
Nova proposta, que reivindica reembolso das horas descontadas e suspensão de sindicância, será apresentada ao governo

05/12/2011 – 15:31

Da redação

Alterar o tamanho da letra A+A-

Os médicos assistentes do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, que estão em greve há 165 dias, apresentaram uma nova proposta para encerrar a paralisação. Eles desistem da equiparação salarial com médicos que trabalham em outros hospitais estaduais de Ribeirão Preto, mas reivindicam o reembolso das horas descontadas nos cinco meses e meio de greve e a suspensão de uma portaria que determina a sindicância do comportamento de médicos grevistas.

A proposta foi protocolada na Secretaria Estadual de Saúde e na superintendência do HC e deve ser discutida nesta terça-feira (6).

“Estamos dispostos a encerrar a greve se tudo voltar a ser como era em abril (antes da greve). Sem o desconto de horas e sem retaliação aos médicos”, afirma o diretor do Sindicato dos Médicos e membro do comitê de greve, Dr. Ulysses Strogoff de Matos.

De acordo com o diretor do sindicato, os médicos decidiram esperar pelo plano de cargos e salários proposto para a categoria, que deve ser apresentado pelo governo estadual, que elevaria o piso a um patamar semelhante ao solicitado pelos grevistas.

“Temos a promessa do secretário da Saúde (Giovanni Guido Cerri) e do líder do governo (Deputado Samuel Moreira) de que esse projeto deve ser enviado à Assembleia Legislativa ainda neste mês e começar a tramitar na primeira sessão de 2012”, afirma Dr. Matos.

Para o superintendente do hospital, Dr. Marcos Felipe de Sá, a proposta dos médicos não aponta uma solução para a greve

“Ao invés de ser conciliadora, ela aprofunda ainda mais o poço entre os médicos e o HC”, afirma o gestor que afirmou também que não tem autonomia para decidir sobre as reivindicações. “Vou deixar para o governo decidir porque o que eles estão pedindo foge da minha alçada.”

Já a Secretaria de Estado da Saúde informou que as reivindicações dos médicos devem ser levadas diretamente à direção do hospital que tem autonomia para descontar horas extras e propor a abertura de sindicâncias.

Segundo o Dr. Matos, se as reivindicações não forem aceitas, a greve dos médicos irá continuar.
FONTE: eptv.globo.com/ribeiraopreto/noticias/NOT,2,2,382413,Medicos+do+HC+desistem+de+reajuste+e+greve+pode+terminar+nesta+terca.aspx

Médicos terceirizados de saúde da família mantém greve e discutem demissão coletiva

Sorocaba- 28/05/2011 08:54

Médicos de USFs decidem manter greve e já cogitam demissão coletiva

TRT julga que descontos em função do movimento não serão devolvidos até decisão do dissídio; estimativa é que 10,2 mil consultas foram canceladas

Felipe Barduchi/Agência BOM DIA

Holerite com desconto em salário de profissional em greve; em alguns casos, valor descontado chega a R$ 3,5 mil

Taís Iatecola
Agência BOM DIA

Em greve há 111 dias, os 22 médicos de USFs (Unidades de Saúde da Família) decidiram ontem, durante assembleia na APM (Associação Paulista de Medicina), manter o movimento e já cogitam a possibilidade de demissão coletiva. Segundo o médico Alexandre Peres, membro da comissão de negociação, desde que a greve teve início, em fevereiro, cinco profissionais já pediram demissão.

“Hoje [ontem] mais um informou que na segunda vai comunicar seu desligamento. Não somos políticos, nem temos cargos administrativos, apenas pedimos o que é justo. Já começamos a pensar em colocar nossos cargos à disposição.”

Ele comenta que a categoria está sem reajuste há 11 anos e que reivindicações não são apenas salariais, mas estruturais. “Faltam agentes de saúde, remédios, equipamentos, não dá para trabalharmos nessa situação.
Mesmo assim não há diálogo. Estamos atendendo 90% da população em período parcial para cumprir determinação do TRT e resguardar nossos colegas dos pronto-socorros.”

O estopim da crise foi a decisão do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) sobre medida cautelar dos médicos que exigia a devolução dos descontos salariais feitos dos grevistas pela empregadora, a Maternidade Gota de Leite.  O Tribunal decidiu na quinta-feira que a reversão dos descontos só poderá ser feita após julgamento do dissídio coletivo. “Alguns descontos chegam a R$ 3,5 mil e já tem gente pedindo empréstimo. Alguns só têm essa fonte de renda e estão trabalhando de dois a três dias em período integral para que a situação não se agrave mais”, conta Peres.

O advogado dos médicos, Marco Furlan, acredita que o julgamento do dissídio deve acontecer na próxima semana. “A nosso favor temos o parecer do Ministério Público do Trabalho de que a greve é legal, mas vou recorrer da medida cautelar.”

Estimativa é que, desde que a greve teve início, 10,2 mil consultas foram canceladas. A prefeitura foi procurada para informar se pretende negociar com os médicos grevistas, porém não se pronunciou até o fechamento desta edição.
http://www.redebomdia.com.br/noticias/dia-a-dia/55162/medicos+de+usfs+decidem+manter+greve+e+ja+cogitam+demissao+coletiva

Médicos brasileiros conscientizam-se da necessidade de lutar pelo serviço público de saúde.

Custódio de Matos, na foto oficial. De sua sensibilidade para com as reivindicações dos médicos poderá defender o futuro próximo do SUS em Juiz de Fora.

Custódio de Matos, na foto oficial. De sua sensibilidade para com as reivindicações dos médicos poderá depender o futuro próximo do SUS em Juiz de Fora.

No contexto da luta dos médicos de Juiz de Fora, que reivindicam, em última análise, respeito e dignidade à administração de Custódio de Matos, há uma série de ações nacionais e outros movimentos reivindicatórios, que visam à defesa do SUS garantindo um de seus elementos fundamentais, o trabalho médico dentro da área de Saúde. Sem esse pilar, o sistema fatalmente tenderá ao fracasso.

A defesa do trabalho médico no SUS é uma causa nacional.

Evento, em São Paulo, mobilizará dirigentes de entidades médicas e congressistas.

Evento, em São Paulo, mobilizará dirigentes de entidades médicas e congressistas.

Entidades médicas preparam um movimento em escala nacional para defender o tão aviltado trabalho dos profissionais da Medicina no âmbito do SUS. A própria sobrevivência do SUS depende de que as autoridades de todas as esferas e níveis de poder reconheçam esse problema e passem a executar ações concretas, consistentes, coerentes e responsáveis que garantam o trabalho médico. A notícia pode ser conferida em http://www.agorams.com.br/index.php?ver=ler&id=148189

A notícia nos informa que estão previstas manifestações e debates na cidade de São Paulo, dias 28 e 29 de maio, no âmbito do Fórum Sudeste em Defesa do Trabalho Médico no SUS e do Fórum Nacional em Defesa do Trabalho Médico no SUS, com.Na tarde de quinta-feira, 28 de maio, as atividades concentram-se no Braston São Paulo, com debates sobre a pauta do movimento: Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS), Salário Mínimo Profissional e CBHPM no SUS. Os temas serão apresentados por Eduardo Santana (Fenam), Geraldo Guedes (CFM) e Florisval Meinão (AMB), respectivamente.Ainda na quinta-feira, às 19h30, no Braston São Paulo, acontece a abertura do Fórum Nacional. Participam, além de representantes do CFM, AMB, Fenam e Cremesp, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, e o presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer. Temporão apresenta, às 20h, a conferência 21 anos no SUS Realidade e Perspectivas do Trabalho Médicoe participa de posterior debate com convidados.

Greve no Espírito Santo.

Em Vitória, os médicos vão deixar unidades de saúde em defesa da respeitabilidade do seu trabalho.

Em Vitória, os médicos vão deixar unidades de saúde em defesa da respeitabilidade do seu trabalho.

Em Vitória, motivados pela deterioração das condições de atendimento ao público e pela remuneração indecorosa, os médicos vão deflagrar greve geral. Apenas 30% do efetivo médico estará trabalhando para atender a urgências e emergências. Nota oficial será publicada, para dar ciência ao povo e às autoridades. A notícia pode ser conferida no site: http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2009/05/84701-medicos+de+vitoria+entram+em+greve+na+proxima+quinta+feira.html "Estamos em negociação há mais de três anos. Além do piso salarial, estamos lutando por melhores condições de trabalho. Hoje não há segurança, muitos casos de agressão estão sendo registrados, assim como furtos e assaltos. Além disso, há uma grande sobrecarga", ressaltou o presidente do Sindicato dos Médicos, Otto Baptista.

Greve em Sorocaba.

Em Sorocaba, médicos não atenderão mais a consultas no sistema público de saúde.

Em Sorocaba, médicos não atenderão mais a consultas no sistema público de saúde.

Todos os atendimentos agendados serão suspensos. Os médicos ainda mantinham atendimento a 60% das consultas agendadas. Atendimentos agora vão se limitar a casos definidos como de urgência ou emergência.

O motivo da continuidade do movimento grevista, de acordo com o Sindicato dos Médicos de Sorocaba e Região Sul, é que a prefeitura, na reunião ocorrida na terça-feira, no Paço Municipal, não apresentou nenhuma contraproposta de reajuste salarial. Os médicos reivindicam reajuste de 166%, seguindo uma orientação dos Federação Nacional dos Médicos, que iria dos atuais R$ 2.200,00 (bruto) por 15 horas semanais para os R$ 8.230,00 por 20 horas.

Quem quiser ler a notícia inteira poderá ver em http://www.cruzeirodosul.inf.br/materia.phl?editoria=39&id=183072

Esses fatos e exemplos devem predispor, cada vez mais, os médicos do serviço público a se organizarem em torno de suas entidades de representação classista, que são os sindicatos, para reivindicarem o direito de trabalharem com dignidade e respeitabilidade, a favor da saúde do povo brasileiro, na sua luta cotidiana contra as moléstias. Continue lendo

SOROCABA: REPRESSÃO A MOVIMENTO MÉDICO IMPÕE CRIATIVA NA LUTA DA CATEGORIA.


Na luta pela valorização da profissão, por uma carreira atraente, por salários dignos e condições de atendimento decentes, pela defesa do sistema público de saúde, os médicos enfrentam repressões, dissenções e incompreensões. Muito frequente são as sentenças judiciais que ameaçam jogar para o já populoso campo da marginalidade os nossos movimentos. Essa notícia, saiu no jornal da cidade de Sorocaba e pode ser conferido na página http://www.cruzeirodosul.inf.br/materia.phl?editoria=39&id=181505

Os médicos querem aumento salarial de 166%. Eles reivindicam salários de R$ 8.239,24 por 20 horas semanais. Atualmente, recebem R$ 2.220,00 por 15 horas semanais, assim, por hora, os médicos recebem R$ 30,95 e querem receber R$ 82,39.

A criatividade é uma arma decisiva nessas lutas contra a repressão. A causa dos médicos é justa e, cada vez mais, a maioria da população a reconhece, apesar de não ser uma causa com grande respaldo e repercussões midiáticas. Afinal, doutor não é celebridade.

CLIMA DE GREVE NA SAÚDE – [ 01/05 ]
Liminar força médicos a mudarem estratégia
Fernando Guimarães
Notícia publicada na edição de 01/05/2009 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 5 do caderno A – o conteúdo da edição impressa na internet é atualizado diariamente após as 12h.

A Prefeitura de Sorocaba obteve ontem liminar da Vara da Fazenda Pública de Sorocaba que obriga o Sindicato dos Médicos de Sorocaba e Região (Simesul) a manter, no mínimo, 60% dos serviços de saúde prestados por esses profissionais, sem prejudicar a população que precisa de atendimento nos Pronto-Atendimentos (PAs) da cidade.

Em razão disso, de acordo com o presidente do Simesul, Antônio Sérgio Ismael, a categoria mudou a estratégia: manterá 100% dos médicos nas unidades básicas de saúde, porém, os profissionais priorizarão o atendimento, levando-se em consideração casos de emergência e urgência.

Essa paralisação, com características de operação tartaruga, começará nesta segunda-feira, havendo uma assembleia geral na quarta-feira, às 19h. Mas, ontem, os reflexos do clima grevista dos médicos já era sentido nas duas unidades pré-hospitalares de Sorocaba, onde usuários abordaram a reportagem para reclamar da demora no atendimento.

Na terça-feira, às 14h, os secretários municipais de Recursos Humanos, Rodrigo Moreno, e da Saúde, Milton Palma, iniciarão as negociações sobre a pauta de reivindicações apresentada pelos médicos.

Os presidentes do Simesul e do Sindicato dos Servidores Municipais, Ismael e Sérgio Ponciano de Oliveira, respectivamente, participarão da reunião. O fim da paralisação dependerá do que o Paço irá apresentar aos profissionais e é isso que levaremos na assembleia de quarta-feira, quando votaremos pelo fim da greve ou a manutenção dela, além de traçarmos outras estratégias para que a Prefeitura atenda aos nossos pedidos, afirma Ismael.

Ponciano, que assumiu o compromisso de mediar o processo de negociação das demandas levantadas pelos médicos, desde que não comprometa a negociação salarial de toda a categoria, pois mais de dez mil servidores da ativa, aposentados e pensionistas estão insatisfeitos com a demora por mais de 120 dias no fechamento do acordo, já que a categoria aguarda ao menos a reposição da inflação de 2008, referente a 6,16% do IPC FIPE, cuja data-base é janeiro, disse que na oportunidade exigirá que a administração municipal contemple as demandas dos demais segmentos profissionais que atuam na rede municipal de saúde, enfermeiros, cirurgiões dentistas, auxiliares de enfermagem, atendentes de consultório dentário e outros profissionais. Desde 2006 eles lutam pela reestruturação global da Secretaria da Saúde, tanto na área funcional, de cargos e carreiras e de melhoria das condições de trabalho.

Os médicos querem aumento salarial de 166%. Eles reivindicam salários de R$ 8.239,24 por 20 horas semanais. Atualmente, recebem R$ 2.220,00 por 15 horas semanais, assim, por hora, os médicos recebem R$ 30,95 e querem receber R$ 82,39.

Esta matéria foi acessada 97 vez(es).
Comentários
Cristine A. Cocchiarali [ 01/05/2009 ]

Estou totalmente favorável à greve dos médicos mesmo necessitando muito dos seus serviços profissionais, pois é um absurdo que uma categoria tão importante receba um salário tão aviltante como este ; e esta nova reunião que esta marcada com o representante do Sindicato dos Funcionários Municipais, mostra, para muitos, como pude presenciar ontem em um Posto de Saúde, o comentário de uma enfermeira que eles são melhores que os médicos.Desculpem-me mas eles não podem aplicar uma injeção sem autorização de um médico!!!!
Milton Paes Andrade Rosa [ 01/05/2009 ]

Os médicos querem aumento salarial de 166%. Eles reivindicam salários de R$ 8.239,24 por 20 horas semanais. Atualmente, recebem R$ 2.220,00 por 15 horas semanais, assim, por hora, os médicos recebem R$ 30,95 e querem receber R$ 82,39.

Os médicos querem aumento salarial de 166%. Eles reivindicam salários de R$ 8.239,24 por 20 horas semanais. Atualmente, recebem R$ 2.220,00 por 15 horas semanais, assim, por hora, os médicos recebem R$ 30,95 e querem receber R$ 82,39.

Technorati : , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
Del.icio.us : , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,