IPSEMG – PREVIDÊNCIA DO SERVIDOR PÚBLICO MINEIRO SOFRE RISCO DE PRIVATIZAÇÃO.

Deputados estaduais sensíveis aos riscos que ameaçam o futuro da Previdência dos servidores públicos estaduais de Minas conseguem uma audiência pública sobre o tema. O Movimento em Defesa do IPSEMG e sindicalistas mineiros, inclusive o Presidente do Sindicato dos Médicos de Minas Gerais, terão ocasião de expressarem seus pontos de vista sobre o futuro do IPSEMG. Uma das mais tradicionais instituições previdenciárias para os servidores públicos do Estado de Minas Gerais, foi duramente atacada na época do Governo de Eduardo Azeredo. Agora o governo tucano do Aécio Neves volta à carga. Um dos riscos é a transferência do plano de saúde do órgão previdenciário público para uma empresa estrangeira. A notícia está no site na Assembléia Legislativa mineira. A página é http://www.almg.gov.br/Not/BancoDeNoticias/Not_705011.asp. A transcrição está abaixo:

Deputados debatem denúncia de privatização do Ipsemg
Preocupados com denúncias de sucateamento e ameaça de privatização do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Estado de Minas Gerais (Ipsemg), os deputados Carlin Moura (PCdoB) e Almir Paraca (PT) solicitaram uma reunião com representantes do governo, da instituição e outros para buscar esclarecimentos. A audiência será realizada pelas comissões de Administração Pública e de Participação Popular da Assembléia Legislativa de Minas Gerais e está marcada para a próxima terça-feira (19/8/08), às 16h15, no Plenarinho I. Os parlamentares também querem ouvir explicações sobre a política de assistência à saúde e o atendimento prestado pelo Ipsemg aos servidores públicos estaduais, além de discutir a situação salarial e as condições de trabalho dos servidores daquele instituto.

O requerimento para a reunião foi feito a partir de denúncias enviadas aos deputados por diversas entidades que compõem a Frente em Defesa do Ipsemg-Saúde, entre elas a Associação de Contribuintes do Ipsemg (Ascon) e a Associação dos Jornalistas do Serviço Público (Ajosp). De acordo com uma carta-aberta divulgada pela Frente, o Ipsemg vem sendo sucateado por sucessivos governos estaduais, chegando a uma situação pré-falimentar, com impacto direto sobre o atendimento à saúde, “que deixou de ser modelo na América Latina para se transformar em pesadelo para usuários e contribuintes”.

Além disso, continua o documento, o Ipsemg corre o risco de ter sua estrutura de saúde privatizada, pois uma empresa norte-americana foi contratada em 2007 para apresentar um plano de reestruturação do instituto e uma das soluções visualizadas pelo governo do Estado é a implantação de um plano de saúde que poderia ser prestado pela iniciativa privada. “Portanto, o que se vislumbra agora é a completa destruição do Ipsemg enquanto instituição”, conclui a Frente em Defesa do Ipsemg-Saúde.

Em maio, médicos do instituto fizeram uma greve por melhores salários e condições de trabalho. Representantes da categoria, na ocasião, reclamaram das deficiências, como falta de material de atendimento, entre eles soro fisiólogico, curativos e equipamentos como sonda.

No início de julho foi aprovado na Assembléia, o Projeto de Lei (PL) 2.475/08 do governador, que reajustou os salários dos servidores do Ipsemg. O projeto foi transformado na Lei 17.717, em 11 de agosto e garante um reajuste de 5% do vencimento básico, retroativo a janeiro deste ano. O reajuste foi concedido para as carreiras de auxiliar, técnico e analista de seguridade social, e não será deduzido do valor recebido pelo servidor relativo à Vantagem Temporária Incorporável (VTI).

Convidados: Foram convidadas as seguintes personalidades: secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena; promotor de Justiça e Coordenador da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público, Eduardo Nepomuceno de Souza; presidente do Ipsemg, Antônio Abrahão Caram Filho; presidente da União Nacional dos Servidores Públicos, Sebastião Soares; presidente da Associação dos Contribuintes do Ipsemg, Moisés de Oliveira Melo; e presidente do Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed), CristianoGonzaga da Matta Machado.

Technorati Tags: , , , , , , ,
Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação – 31 – 2108 7715



***TAGS***

BlogBlogs.Com.Br , Pingar o BlogBlogs, Technorati Favoritos, ,

About these ads
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • sarah  On 11 -novembro- 2008 at 9:03 pm

    Meu nome é Sarah e sou residente do Hospital Geral Governador Israel Pinheiro, parte do IPSEMG. Como parte desse processo de sucateamento do IPSEMG, a nova gerência acaba de anunciar uma drástica redução nas vagas de Residência Médica. Sabemos que os residentes representam grande parte do corpo clínico do Hospital e também do Centro de Especialidades Médicas, de modo que essa redução irá prejudicar diretamente o atendimento ao servidor, não só em quantidade mas também em qualidade. Dessa forma, venho manifestar a minha indignação em relação a atitudes como esta, que mostram o descaso das autoridades para com a insituição histórica que é o IPSEMG. Espero poder contar com o apoio dos servidores e demais interessados em preservar o IPSEMG como instituição que vise, em primeiro lugar, o atendimento digno e de qualidade ao servidor.

  • maria das dores caldeira de figueiredo  On 13 -janeiro- 2009 at 7:15 am

    Sou filiada ao sindicato do ipsemg,gostaria de saber o que o sindicato esta reindicando pela categoria,quanto o vale trasporte,tenho colegas que pagam de passagem dez reais por dia ,isso e um absurdo ,funçao publica a um boato e o sindicato nem siquer faz uma reuniao para esclarecer o que esta acontecendo? Estou pensando em sair do sindicato.

  • Valeria  On 7 -maio- 2009 at 2:34 pm

    Meu nome eh Valeria,
    Voces antes de escrever algum comentario, deveriam primeiro estudar portugues.
    Quanto a Medica Residente Sarah pare de se preocupar com assuntos do Ipsemg e va estudar.

  • gh7a  On 7 -maio- 2009 at 8:08 pm

    O IPSEMG é um patrimônio do servidor público estadual mineiro e não pode ser transformado em serventia de políticos descomprometidos com as questões previdenciárias do servidores públicos e nem fatiado pelo governo de Aécio Neves como se fosse um negócio qualquer. É bom que todos os funcionários estaduais, que dependem do IPSEMG e o sustentam com suas contribuições fiquem alertas quanto ao que se passa lá. Os fatos denunciados aqui representam uma queda de qualidade na assistência. E, pior ainda, a desativação parcial dos serviços de Psiquiatria poderá deixar o usuário do IPSEMG em Belo Horizonte em situação difícil, já que a cidade, sabidamente, tem uma assistência pública deficiente nessa área, sendo difícil às pessoas terem acesso a uma consulta com um psiquiatra.

  • Luziane Parrela de Sousa Almeida  On 22 -março- 2011 at 1:09 pm

    E o nosso reposicionamento? E o aumento, sai ou não sai,sou funcionária do ipsemg há quase 27 anos em Brasília de minas. Quero mais esclarecimentos, adoro esta casa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.051 outros seguidores