Monthly Archives: outubro 2015

Sindicato Expresso: #CRISEnoSUS – A dor de quem precisa e a incompetência de quem comanda.

Ineficiência na gestão do SUS. Qual o percentual de incompetência e de corrupção nesses resultados?

O atendimento à saúde é uma equação que não fecha. Nos governos Lula e Dilma a tabela do SUS foi reajustada abaixo da inflação. Há ainda de se levar em conta as fraudes e a corrupção, além da falta de gestão competente, denunciadas pelo do Conselho Federal de Medicina.
No curto prazo não há remédio que cure o desgoverno nessa área. O descaso com a saúde dos brasileiros é vergonhoso, apesar dos discursos de palanque sobre a assistência aos pobres. Enquanto isso, as filas só aumentam. E a população continua pagamento a conta para não ter atendimento de qualidade.

Matéria completa em  O Repórter | Opinião | SUS, a dor que não passa

Fonte: Sindicato Expresso: #CRISEnoSUS – A dor de quem precisa e a incompetência de quem comanda.

Anúncios

Sindicato Expresso: #CRISEnoSUS Pacientes sofrem com falta de remédios e demora para cirurgias no SUS

Pacientes sofrem com falta de remédios e demora para cirurgias no SUS (Sistema Único de Saúde). A cabeleireira Deise Augusto de Oliveira, de 54 anos, precisa se submeter a um procedimento cirúrgico emergencial para não perder completamente a visão, mas teve seu nome retirado do cadastro da fila de espera. A cobradora de ônibus Celeste da Silva Gomes precisa tomar remédios que compõem o tratamento contra o câncer de mama. Segundo ela, o remédio custa R$ 584 nas farmácias.

Confira a matéria completa (entrevistas em vídeo) clicando na página Pacientes sofrem com falta de remédios e demora para cirurgias no SUS – Vídeos – R7

Fonte: Sindicato Expresso: #CRISEnoSUS Pacientes sofrem com falta de remédios e demora para cirurgias no SUS

Precarização do SUS – Câmara Municipal aprova terceirização de UPA e polícia prende presidente do SindMed MT

Precarização do SUS – Câmara Municipal aprova terceirização de UPA e polícia prende presidente do SindMed MT

Continuam gestores e autoridades a apostar, por suas leis, sentenças e ações, na ideia de que o SUS funcionará de qualquer maneira, mediante precarização das relações de trabalho. Essa situação se repete em todo o Brasil. A terceirização é do agrado de políticos mal intencionados porque abre as portas da corrupção, dando-lhes o condão de contratar, por meio de intermediação, sem concurso público e comprar sem licitação. Até que haja uma revisão dessa mentalidade que imagina um SUS construído sobre o trabalho precário, teremos um sério entrave ao aperfeiçoamento e ao progresso do sistema.

Os vereadores de Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, aprovaram uma lei que autoriza a prefeitura a contratar uma Organização Social para gerir uma Unidade de Pronto Atendimento na cidade que ainda não tem data para ser inaugurada. A votação ocorreu sob protesto de um grupo de manifestantes que quebrou uma das portas de vidro do prédio da Câmara Municipal e agrediu jornalistas que faziam a cobertura da sessão. O projeto de autoria do Poder Executivo recebeu 14 votos favoráveis e cinco contrários, e segue agora para sanção da prefeita Lucimar Campos (DEM).

A notícia foi publicada no site G1 e a matéria completa pode ser lida clicando-se no link -> http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2015/10/manifestantes-depredam-camara-em-mt-apos-aprovacao-de-projeto-de-lei.html

O negócio dos falsos médicos está proliferando no Brasil

Mais médicos? Pessoas que se passam por médicos roubam usuários do SUS

Aumentam os problemas envolvendo o trabalho médico em serviços públicos de saúde. Desta vez a questão a atuação de falsos médicos em hospital universitário do Rio Grande do Sul.

 A polícia investiga um golpe no qual bandidos se passam por médicos dentro do Hospital Universitário de Santa Maria, na Região Central do Rio Grande do Sul, para cobrar por exames e cirurgias que não serão realizadas. Em um dos casos, o grupo chegou a pedir resgate de R$ 70 mil, mas a criança tinha morrido há um ano (assista ao vídeo acima a reportagem do Jornal do Almoço).
A babá Priscila Dias recebeu um telefone no domingo no qual um homem dizia ser do Hospital  Universitário de Santa Maria (HUSM). Ele afirmou que o filho do casal precisava de uma transfusão de sangue urgente. No entanto, a criança tinha morrido no ano passado.

A matéria completa pode ser lida clicando no link http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2015/10/policia-investiga-golpe-de-bandidos-que-se-passam-por-medicos-no-rs.html

O INSS tornou-se uma instituição sucateada pelo governo

O INSS foi sucateado pelo governo

INSS está sucateado

Matéria divulgada pelo programa de TV Bom Dia Brasil mostra as precárias condições de funcionamento das agências do INSS. A matéria está acompanha de vídeo, que permite conferir o estado de abandono ao qual foi relegado o principal órgão previdenciário do governo federal.

O assunto é a falta de estrutura nos postos do INSS pelo Brasil. Os peritos estão em greve. E uma fiscalização apontou que faltam equipamentos e tem agência caindo aos pedaços.
O resultado disso é um serviço sem nenhuma eficiência. O resultado é assustador. A controladoria concluiu que em mais da metade dos atendimentos, os laudos da perícia não são capazes de atestar se a pessoa está incapacitada ou não para o trabalho.
Fotos mostram o descalabro dentro das agências do INSS Brasil afora. Móveis e prédios em péssimo estado de conservação. Em um, a fiação está exposta.

A matéria e o vídeo podem ser vistos clicando no link http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2015/10/faltam-equipamentos-e-estrutura-em-agencias-do-inss-pelo-pais.html

Mais um retrato da crise: Santa Casa de Campos suspendeu atendimento ao SUS

#CRISEnoSUS Santa Casa de Campos dos Goytacazes suspende atendimento a usuários do SUS

O SUS não pode funcionar na base do calote

A crise no SUS cada vez mais nos fornece retratos que colamos aqui, nesse blog, para que sejam sempre lembrados. A Santa Casa de Campos do Goytacazes, no Norte Fluminense, suspendeu atendimento ao SUS, em razão do SUS não estar repassando recursos devidos aos procedimentos médicos e hospitalares lá realizados. Essas situações se repetem por todo o Brasil. Mais que médicos e hospitais, prejudica o usuário, que fica cada vez mais exposto à falta de leitos, consultas e procedimentos especializados.

O município de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, notificou nesta segunda-feira (19) a Santa Casa de Misericórdia de Campos para que restabeleça o atendimento à população através do Sistema Único de Saúde (SUS), interrompido desde a última quinta-feira (15). A Junta Interventora do hospital alegou que a unidade está sem receber um repasse de cerca de R$ 7 milhões.

A matéria completa está no site G1 e pode ser consultada em http://g1.globo.com/rj/norte-fluminense/noticia/2015/10/hospital-de-campos-rj-e-notificado-restabelecer-internacoes-pelo-sus.html

Sindicato Expresso: Relações de trabalho precárias desestimulam médicos de atuar no SUS

#CRISEnoSUS – Paralisação de médicos terceirizados em Mato Grosso. Relações trabalhistas precárias prejudicam o SUS e médicos

Médicos terceirizados de hospital público do Mato Grosso fazem greve. Relações trabalhistas são caracterizadas pela precariedade. Há os que pensam que o SUS pode funcionar assim, com uma política de relações trabalhistas centrada em terceirizações, bolsas e contratos provisórios. É assim que querem mais médicos? Nada é feito com a finalidade de atrair e fixar mão de obra de alta qualificação para o SUS.

A interventora explicou que os médicos não são contratados direto pelo governo do Estado, mas de empresas terceirizadas, que recebem os repasses do governo. O que teria motivado o atraso ainda não foi apontado.

A matéria completa pode ser conferida em http://www.sonoticias.com.br/noticia/saude/sinop-medicos-do-hospital-regional-paralisam-atividades-e-ex-funcionarios-estao-sem-receber

Fonte: Sindicato Expresso: Relações de trabalho precárias desestimulam médicos de atuar no SUS

Sindicato Expresso: OAB denuncia ao Ministério Público do Trabalho precarização do trabalho de advogados no RJ

OAB denúncia junto ao Ministério Público do Trabalho a precarização do trabalho de advogados. Desejamos melhor sorte aos bacharéis, já que na área médica a precarização das relações trabalhistas tem sido muito mais do que uma excessão.
Diz a matéria:

Pelo menos dez empresas atuam como intermediadoras da mão de obra de advogados, de maneira irregular, no Rio de Janeiro. Foi o que afirmou o corregedor-geral da Ordem dos Advogados do Brasil fluminense, Rui Calandrini, ao participar de uma audiência pública promovida pelo Ministério Público do Trabalho para debater fraudes na contratação dos causídicos, na última quarta-feira (14/10).
O MPT do Rio investiga atualmente 33 escritórios por admitirem advogados como sócios a fim de burlar a legislação trabalhista. Segundo o MPT, os profissionais entram com cotas de 1%, não recebem participação nos lucros e têm a relação caracterizada pela subordinação.

Para ler a matéria completa clique no link http://www.conjur.com.br/2015-out-18/oab-rj-denuncia-empresas-precarizam-mao-obra-advogado

Fonte: Sindicato Expresso: OAB denuncia ao Ministério Público do Trabalho precarização do trabalho de advogados no RJ

Sindicato Expresso: Judicialização crescente da saúde afeta gestão e financiamento do sistema público de saúde

Judicialização crescente da saúde afeta gestão e financiamento do sistema público de saúde

O serviço público de saúde, SUS, tem seus problemas de gestão e financiamento agravados pela judicialização. É o que podemos constatar, mais uma vez, lendo a matéria Valores pagos pela Saúde para atender decisões da Justiça cresceram 500% entre 2010 e 2014 publicada no site Saúde – Brasileiros.org

O crescimento das despesas pagas em decorrência de sentenças judiciais cresceu 500% em quatro anos. Nas considerações do TCU, Tribunal de Contas da União, diz a matéria:

Ações judiciais para obter tratamentos não disponíveis no SUS foram debatidas pelo Tribunal de Contas da União. Para o ministro Castro, a Justiça é imediatista e não pensa na saúde pública

As decisões judiciais são baseadas no imediatismo.

Diante desses pontos levantados no debate,  Castro chegou a dizer que há um “caráter imediatista dessa decisão”, que não leva em conta o “desperdício do dinheiro público”. Ele mencionou ainda que as decisões são sem critério e sem planejamento e que, na maioria das vezes há opção terapêutica no SUS.

E há uma preocupação que elas continuem crescendo.

Há atualmente 400 mil ações judiciais tramitando no Brasil para obtenção de medicamentos, equipamentos, insumos e realizações de cirurgias. Desde 2010, houve um aumento de 500% nos gastos do Ministério da Saúde com essas ações. Naquele ano, o valor pago foi de R$ 139,6 milhões. Apenas em 2014, o gasto chegou a R$ 838,4 milhões. Em todo o período, a soma ultrapassa R$ 2,1 bilhões.

A matéria completa pode ser lida clicando no link http://brasileiros.com.br/2015/10/valores-pagos-pela-saude-para-atender-decisoes-da-justica-cresceram-500-entre-2010-e-2014/

Fonte: Sindicato Expresso: Judicialização crescente da saúde afeta gestão e financiamento do sistema público de saúde

Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS Polícia continua investigando caso dos falsos médicos que atendiam usuários do SUS

#CRISEnoSUS Polícia continua investigando caso dos falsos médicos que atendiam usuários do SUS

Investigações apontam ligações entre empresas que serviam para contratar profissionais terceirizados para o SUS, nomeações para cargos no SUS dos municípios e falsários que agenciavam e terceirizavam o trabalho de falsos médicos. Ainda não se tem ideia de quantos usuários do SUS foram ou ainda são atendidos por falsos médicos terceirizados.

O médico Daniel Gutierrez, dono da empresa Unidade de Serviços Médicos Cambuí, por meio da qual os falsos médicos que atuaram em Franca recebiam seus salários, prestou depoimento à Polícia de Mairinque (SP), que também investiga a ação dos falsários. O depoimento aconteceu no início de setembro. Daniel estava acompanhado de dois advogados, quando disse que dois dos falsos médicos que atuaram em Franca foram indicados por um diretor do ICV (Instituto Ciências da Vida).
À polícia, ele disse que conheceu o ICV, que prestou serviços em Franca de junho de 2014 a 4 de setembro deste ano, através da indicação de um amigo, também médico. Daniel disse que foi apresentado a João Rocha, apontado por ele como dono da empresa, no final de 2013, quando teria sido convidado a ocupar uma vaga de coordenador médico em Vargem Grande do Sul (SP).

Fonte: Médico diz à polícia que falsários foram indicados por diretor do ICV – Franca – Portal GCN.net.br

Fonte: Telegrama Sindical: #CRISEnoSUS Polícia continua investigando caso dos falsos médicos que atendiam usuários do SUS